Trump diz que pode ir à inauguração da embaixada em Jerusalém

28 de abril de 2018.

 

O presidente americano, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (27) que poderia viajar a Israel no mês que vem para inaugurar a nova embaixada dos Estados Unidos, que ele decidiu transferir de Tel Aviv a Jerusalém.

"Poderia ir, me sinto muito orgulhoso disso", declarou, em coletiva de imprensa conjunta na Casa Branca ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, ao descrever o repúdio a um plano de dez anos por 1 bilhão de dólares em troca de remodelação, de 300.000 a 400.000 dólares, de uma instalação que os Estados Unidos já tinham.

"Vai ser bonito. E vai ser algo temporário, mas poderia ser por muitos anos", destacou.

"A embaixada em Jerusalém foi uma promessa de presidentes durante muitos anos. Fizeram promessas de campanha e não tiveram a coragem de executá-la. Mas eu o fiz. Portanto, poderia ir".

A polêmica mudança está prevista para 14 de maio, data que coincide com os 70 anos da criação do Estado de Israel.

Em dezembro, Trump anunciou a decisão "de reconhecer oficialmente Jerusalém como capital" de Israel, rompendo com seus antecessores e ignorando advertências de todos os lados.

A decisão do presidente americano provocou uma profunda ira no mundo árabe, particularmente entre os palestinos, que veem o leste de Jerusalém como a capital de seu futuro Estado.

O presidente americano, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (27) que poderia viajar a Israel no mês que vem para inaugurar a nova embaixada dos Estados Unidos, que ele decidiu transferir de Tel Aviv a Jerusalém.

"Poderia ir, me sinto muito orgulhoso disso", declarou, em coletiva de imprensa conjunta na Casa Branca ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, ao descrever o repúdio a um plano de dez anos por 1 bilhão de dólares em troca de remodelação, de 300.000 a 400.000 dólares, de uma instalação que os Estados Unidos já tinham.

"Vai ser bonito. E vai ser algo temporário, mas poderia ser por muitos anos", destacou.

"A embaixada em Jerusalém foi uma promessa de presidentes durante muitos anos. Fizeram promessas de campanha e não tiveram a coragem de executá-la. Mas eu o fiz. Portanto, poderia ir".

A polêmica mudança está prevista para 14 de maio, data que coincide com os 70 anos da criação do Estado de Israel.

Em dezembro, Trump anunciou a decisão "de reconhecer oficialmente Jerusalém como capital" de Israel, rompendo com seus antecessores e ignorando advertências de todos os lados.

A decisão do presidente americano provocou uma profunda ira no mundo árabe, particularmente entre os palestinos, que veem o leste de Jerusalém como a capital de seu futuro Estado.

Fonte: AFP

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||