Tensão no Oriente Médio: Israel diz que o teste de mísseis do Irã é uma 'provocação'

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

24 de setembro de 2017.

 

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, classificou neste sábado como uma "provocação" o teste do Irã de um míssil de médio alcance, e adicionou que isso é uma prova da ambição de Teerã de se tornar uma potência mundial.

Horas mais cedo, o Irã divulgou que testou com sucesso um míssil capaz de voar a uma distância de até 2.000 quilômetros (1.250 milhas) e que pode transportar várias ogivas, desafiando as advertências recentes dos Estados Unidos.

"O míssil balístico que o Irã disparou é uma provocação dos Estados Unidos e seus aliados, incluindo Israel", afirmou Lieberman em comunicado.

"Também é um meio para testar nossas reações, bem como novas provas da ambição do Irã de se tornar uma potência mundial para ameaçar os países do Oriente Médio e os Estados democráticos em todo o mundo".

O teste iraniano aconteceu no final de uma semana de diplomacia aquecida na Assembleia Geral da ONU, na qual os Estados Unidos e Israel denunciaram o Irã e seu acordo nuclear com seis potências mundiais.

O presidente dos EUA, Donald Trump, acusou o Irã de desestabilizar o Oriente Médio, chamando-o de "Estado desonesto cujas principais exportações são violência, derramamento de sangue e caos".

O presidente estadunidense também ameaçou deixar o acordo nuclear de 2015, dizendo que o Irã está desenvolvendo mísseis que poderiam ser usados para entregar uma ogiva nuclear.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que, desde o acordo, o Irã foi "como um tigre faminto desencadeado, não se juntou à comunidade de nações, mas foi devorando nações uma após a outra".

Netanyahu prometeu lutar contra o que ele descreveu como "uma cortina iraniana" que desceu no Oriente Médio e prometeu impedir o Irã de produzir armas que pudessem atingir Israel.

"Aqueles que nos ameaçam com a aniquilação se colocam em perigo mortal. Israel se defenderá com toda a força de nossas armas e o pleno poder de nossas convicções", disse Netanyahu na ONU.

Os inspetores da ONU dizem que o Irã cumpriu seus compromissos de desistir de suas atividades nucleares no âmbito do acordo, que foi alcançado com os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e da Alemanha.

O Irã diz que todos os seus mísseis são projetados para transportar ogivas normais convencionais e limitou seu alcance a um máximo de 2.000 quilômetros, embora os comandantes afirmem ter tecnologia para voar mais.

Isso os torna apenas de médio alcance, mas ainda são suficientes para chegar a Israel ou a bases norte-americanas no Golfo.

Fonte: Sputnik

https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201709239422013-israel-chama-teste-missel-ira-provocacao/

Comentários

TMARINHO em 24/09/2017 10:29:38
Está se configurando o mapa do 'Reino do Norte" com a Russia (Rosh) Turquia (Togarma) Irã/Iraque (Gog/Magog) e Síria/Líbano/Hezbolá. Já o "Reino do Sul" com Israel, Arábia Saudita, Egito e a "Otan Árabe". O cenário internacional indica que se os EUA se envolverem numa guerra com a Coréia do Norte, o Reino do Norte vai atacar Israel.

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||