'Será problemático para Israel e EUA se Europa aderir ao acordo iraniano'

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

06 de junho de 2018.

 

O ministro da Inteligência de Israel, Yisrael Katz, apelou para realização de coalizão militar contra o Irã se este desafiar as potências mundiais com enriquecimento de urânio. As declarações de Katz surgem quando o primeiro-ministro israelense começou a visitar líderes europeus para discutir o envolvimento regional e o programa nuclear de Teerã.

O Irã declarou anteriormente que planeja aumentar sua capacidade de enriquecimento de urânio, mas permanecerá dentro das regras do acordo.

Sputnik Internacional discutiu o programa nuclear do Irã com o Dr. Eitan Barak, do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Perguntado sobre o que simboliza o planejamento iraniano de aumentar sua capacidade de enriquecimento de urânio, dentro dos limites do JCPOA, o especialista destaca "que o aiatolá Ali Khamenei [líder supremo iraniano] disse que apenas sob as condições declaradas por ele na segunda-feira (4), a condição de que o acordo nuclear irá de fato desmoronar após a saída dos EUA no mês passado, e acredito que ele declarou corretamente ao dizer que a nação iraniana não tolerará ficar sob ambas — sanções e restrições nucleares".

"No entanto, os signatários europeus do acordo, quem Netanyahu está atualmente visitando, ou seja, França e Alemanha, vão manter o acordo e também vão se certificar de que as empresas europeias não vão se render à regulamentação dos EUA e à ameaça de sanções", acrescentou.

Sobre a resposta de Israel em relação à declaração, Barak afirmou que a reação israelense ainda não foi vista. "Posso supor que Netanyahu vai tirar vantagem disso em sua campanha, na verdade, para forçar as empresas europeias a se retirarem do acordo também, ou o que ele espera que eventualmente os líderes iranianos concordem em negociar a questão do programa de mísseis nucleares."

O analista comenta que o objetivo principal de Netanyahu ao se encontrar com líderes europeus é de persegui-los para que tomem o mesmo lado que o presidente americano. "Na verdade, Trump adotou o ponto de vista de Netanyahu e isso é exatamente o que ele quer fazer com os europeus, será problemático para Israel e Estados Unidos se a Europa aderir ao acordo iraniano".

Após o encontro com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, intitulado por alguns como um fracasso e que não chegou a lugar nenhum, muitos especialistas acham que é muito improvável que Netanyahu tenha algum sucesso em convencer a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, ou até mesmo o presidente francês Macron, que visitou os Estados Unidos tentando persuadir Donald Trump a permanecer no acordo.

Questionado sobre a possibilidade de Israel conseguir convencer os líderes, que enfrentaram os Estados Unidos, a abandonar o acordo, Barak acredita que os dirigentes europeus estão enfrentando um grande dilema.

"Eles sabem que o Irã não violou o acordo, de fato, o último relatório da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) confirma isso, mas os EUA adotaram a visão de Israel. Eles estão dispostos a confrontar os Estados Unidos e a pagar o preço por causa do Irã?", indaga o professor.

O especialista concorda com o fato de que Israel não foi signatário ou apoiador do JCPOA, enquanto os Estados Unidos apoiaram e abandonaram um acordo internacionalmente reconhecido. Além disso, ele usa como exemplo o caso da Coreia do Norte que ao mostrar que tem armas nucleares, então é "tratado com respeito e assim por diante. E o Irã afirmou, de fato, que as duas questões, tanto a influência na Síria e como o programa de mísseis, são inegociáveis".

Fonte: Sputnik

https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018060611397631-europa-aderir-acordo-ira-sera-problema-israel-eua/

Comentários

jose maria dos santos em 07/06/2018 21:22:16
Na verdade, nem Netanyahu e os Líderes europeus, estão vendo o futuro disso tudo. Quando, Benjamim Netanyahu sai para os países do bloco conservador da ONU em busca de ajuda e procurar persuadi-los a saírem do pacto com Irã. O que está ocorrendo, é um mapeamento que Deus está fazendo via Netanyahu, assim como aconteceu com Abrão, quando saiu de Ur dos Caldeus para a Terra Prometida,, a então, Canaã; hoje Netanyahu faz o mesmo caminho politico, social e espiritual. Abrão demarcou toda a Terra de Canaã com altares de sacrifícios, para depois, Josué possuí-la com a força da mão direita do SENHOR JEOVÁ. Hoje, Senhor Deus, usa Netanyahu para mapear os futuros inimigos Israel, que serão destruídos na guerra com GOGUE de Ezequiel 37,38. Não podemos apenas olhar para os aspectos políticos, isto é para encher linguiça, como diziam os antigos, mas, para olharmos para o profundo e horroroso plano de Satanás em destruir a Israel em sua nova tentativa sorrateira e ardilosa. O mundo hoje, abraça a causa da Palestina sem saber de fato, o pano de fundo, agindo como massa de manobra nos planos maquiavélicos de satanás. Assim, Deus estabelece e cria um corredor politico do mal para os seus intentos espirituais e humanos. As profecias não podem falhar, e sim, serem cumpridas. A estrada que leva para esse cenário destruidor num futuro breve, se afunilam dia após dia, pois, o SENHOR JEOVÁ tem pressa em cumprir com os seus intentos sobre a humanidade. Maranata, Aleluia! Amém!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||