"Se o Irã atacar Israel, estaremos do vosso lado" - afiança diplomata russo

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

15 de fevereiro de 2018.

O embaixador da Rússia em Israel afirmou que caso Israel venha a ser atacado pelo Irã, Moscou estará ao lado do estado judaico.
 
Esta declaração junta-se a outra em que o diplomata Leonid Frolov asseverou que Israel tem todo o direito de se defender, ao abater um drone intruso no seu território, porém não concorda com a afirmação israelita de que Teerã estaria por trás do lançamento do drone.
 
"Em caso de agressão contra Israel, não serão só os Estados Unidos a ficar ao lado de Israel - a Rússia também estará ao lado de Israel" - afirmou o embaixador, acrescentando: "Muitos dos nossos compatriotas vivem aqui em Israel, e Israel é em geral uma nação amiga, e portanto não permitiremos qualquer agressão contra Israel."
 
Nesta entrevista conduzida na passada Segunda-Feira na embaixada russa em Tel Aviv, o embaixador previu também que os israelitas não irão ficar contentes com o novo plano de paz proposto pelos norte-americanos, e menosprezou a ira com as alegações do presidente da Autoridade Palestina Mahmoud Abbas condenando Israel como um projeto colonial europeu sem ligação ao judaísmo.
 
"Apoiamos certamente o direito de Israel a se defender, e as ações dos pilotos israelitas foram inteiramente corretas" - afirmou Frolov, acrescentando a sua solidariedade para com os pilotos feridos em combate: "Certamente lamentamos que neste incidente dois pilotos israelitas tenham ficado feridos. Em nome da embaixada russa expresso o meu desejo de uma pronta recuperação dos pilotos israelitas."
 
Apesar de a Rússia ser uma clara aliada do Irã e da Síria, o embaixador considerou como "absolutamente legítima" a exigência de Israel para que o Irão não possa estabelecer uma forte presença militar na Síria.
 
Segundo a opinião do embaixador, Moscou concorda que as forças militares iranianas devem abandonar o país logo que a sangrenta guerra civil termine e um novo governo democrático seja estabelecido. Segundo Frolov, as forças militares do Irã foram solicitadas pelo presidente sírio Assad para o ajudarem no combate aos muitos grupos rebeldes que combatem contra o seu regime, acreditando mesmo assim que todas as forças militares estrangeiras presentes no terreno deixarão a Síria quando a guerra terminar.
 
O embaixador russo concorda que Israel tenha o direito a se defender, mas não está de acordo que tenha sido o Irã o responsável pelo envio do drone: "Estou convencido que cada aparelho drone que entra no espaço aéreo de Israel deve ser abatido. Seria ainda melhor abatê-lo sem no entanto o destruir e ver quem é que o construiu e a quem pertence" - asseverou o diplomata russo através de um intérprete.
 
E acrescentou: "Pode-se acusar os iranianos de muitas coisas, mas estúpidos é que eles não são. Eles sabem o que aconteceria se enviassem um drone para Israel. Ninguém duvida que Israel tem capacidade para derrotar as forças iranianas presentes na Síria. Mas não queremos assumir, sem a existência de provas, que os iranianos na Síria sejam loucos."
 
UMA "ESCALADA INESPERADA"
 
As Forças de Defesa de Israel afirmaram inequivocamente que o drone - uma réplica do do americano RQ - 170 - foi construído e pilotado por tropas iranianas estacionadas na Síria. Ontem mesmo a embaixadora dos EUA na ONU Nikki Haley disse ao Conselho de Segurança que "milícias apoiadas pelo Irão" estavam por detrás do ataque com o drone, que ela descreveu como sendo uma "escalada inesperada" e "uma chamada de atenção a todos nós."
 
O diplomata russo adiantou ainda que a Rússia gostaria de ter um maior envolvimento nas conversações de paz, reconhecendo no entanto que "sem os EUA é impossível chegar-se a entendimentos."
 
Para Frolov é importante ver-se uma maior proximidade dos norte-americanos ao plano de paz, no entanto alertou para "algumas penosas concessões" que o mesmo exigirá aos israelitas.
 
Fonte: Fonte: Shalom, Israel!

Comentários

Efraim bwntes em 17/02/2018 17:31:33
Israel procura manter boas relações com todas as nações, infelizmente a influencia árabe e muito grande em vários países , o que impede muitas delas de se aproximarem do estado judeu. Israel poderia fornecer tecnologia de ponta na área medica, ,agricultura ,hídrica e muito mais. Os países vizinhos iriam se beneficiar muito tendo relações com Israel , assim como a Jordãnia , Egito e muitos países africanos e asiáticos. India e China também são muito próximas do estado judeu ,há um intercambio muito grande na área tecnológica e infraestrutura entre essas nações., Enfim, Israel tem muito a oferecer ,basta que certos países abram os olhos para esse fato.





jose maria dos santos em 16/02/2018 19:09:06
Bem. O povo de Israel tem uma fraqueza impressionante em confiar em homens, do que no Messias/Jesus. Isto sempre foi algo dificil para esse povo de IAVÉ dominar. Bem disse, o profeta Jeremias, no capitulo 17.5, que diz: "Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!"(Jeremias 17.5). É uma nação que coxeia entre o bem e o mal, entre desejo de riqueza e o poder; mas não consegue se firmar na verdade de IAVÉ seu Deus e Criador. A Russia nunca foi e nunca será amiga de Deus Israel. Como pode Putin em defender a Israel, sob suspeita de apoiar aos movimentos anti-Israel ao mesmo tempo? Que paradoxo é esse que Putin, o grande Urso, o possivel Gogue vem vivendo com certa e muita duplicidade tanto no leste Europeu, bem como, no Oriente Médio?! O que se sabe, isto é muito claro e patente á todos os Judeus Ortodoxos ou não, de esquerda ou de direita, religioso ou não; que Israel espera o seu messias, com letras minusculas, pois, esse povo de Israel e suas Autoridades abraçarão o falso-messias, o anticristo que surgirá com um plano de paz e segurança de 7 anos e dando-lhes o que Israel mais espera, á autonomia mundial de construirem o Terceiro Templo. Esse engodo já é esperado e irá de acontecer logo que Ezequiel 38,39 vir á tona em seu tempo profetico. O presidente Vladimir Putin, sabe jogar o jogo que foi permitido a ele jogar. E com maestria do mal, cumprirá risca tudo aquilo que Deus lhe proporá em breve. O engodo contra Israel é suave e sutil!

Sergio Bernardo Nhacanhane em 16/02/2018 15:22:03
Falta de coerência por parte do diplomata russo. Isso constitui uma clara evidência que a questão síria é resultado de conflitos de interesses das duas potências que estão se combater dentro aquele território. Se Israel mexer com a síria é lógico que o irão sendo amigo e aliado da síria tem que responder de forma severa ao estado judaico.
Luiz Carlos em 15/02/2018 21:33:01
Israel não deve acreditar nos russos,nunca foram amigos de Israel.

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||