Presidente Israelense discursa no parlamento europeu

25 de junho de 2016.

O presidente israelita Reuven Rivli dirigiu-se no dia 23/06 ao Parlamento da União Europeia, num discurso repleto de críticas à atitude europeia em relação a Israel, desvalorizando a iniciativa francesa e falando sobre o processo de paz com os palestinos.
 
O discurso de Rivlin teve lugar exatamente um dia antes do referendo britânico sobre a permanência ou não do Reino Unido na União Europeia, e poucas semanas após a iniciativa de Paris que deixou Israel de fora.
 
O presidente israelita foi recebido pelo presidente do Parlamento Europeu, o alemão Martin Schulz, tendo os dois líderes ouvido o entoar do hino nacional de Israel e do hino da Europa.
 
Rivlin iniciou o seu discurso sublinhando o significado histórico e a força atual do relacionamento de Israel com a Europa, comentando sobre os valores comuns: "Liberdade, igualdade, justiça, pluralismo e tolerância religiosa, democracia: estes são os princípios inscritos na Declaração de Independência de Israel. Estes são valores constitutivos da União Europeia."
 
"Israel deseja e de fato até tem de ser em primeiro lugar e acima de tudo um lar nacional, um refúgio seguro para o povo judeu."
 
O presidente afirmou ainda que "O estado de Israel não é de nenhuma forma uma compensação para o Holocausto, mas o Holocausto tornou-se uma questão básica para a necessidade e realidade do retorno povo judeu à História, como nação que toma o destino nas suas próprias mãos."
 
O presidente israelita abordou ainda a "impaciência e frustração israelita" face a certas decisões tendenciosas e injustas dos estados europeus, apelando depois aos parlamentares europeus para que considerem "com paciência" as preocupações israelitas, ao mesmo tempo que respeitando a democracia e a soberania do país. 
 
Abordando a questão do processo de paz, Rivlin defendeu a "solução 2 estados", comentando no entanto sobre as dificuldades e dores envolvidas, confessando que as possibilidades de se chegar a um entendimento não se têm conseguido materializar.
 
Rivlin denunciou ainda a dificuldade em negociar com uma liderança palestiniana dividida, inclusivamente partilhada com um grupo - o Hamas - claramente comprometido com a aniquilação de Israel. 

No final do seu emotivo discurso aos parlamentares da União Europeia, o presidente israelita apelou à Europa para que invista e coopere com o estado de Israel.

Fonte: Shalom, Israel!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||