Palestinos e ONU condenam lei de Israel que legalizaria colônia

07 de dezembro de 2016.

O governo palestino e o enviado especial da ONU para o Oriente Médio condenaram nesta terça-feira a aprovação por Israel, em leitura preliminar, de uma polêmica lei com a pretensão de legalizar retroativamente colônias judaicas no território ocupado da Cisjordânia.

O Conselho de Ministros da Autoridade Nacional Palestina (ANP) condenou a proposta de lei, que permitirá a Israel legalizar, contra o direito internacional, 50 colônias em terras palestinas que até agora eram consideradas ilegais.

Para a comunidade internacional, todas as colônias são ilegais, independentemente de como Israel as denomine.

O Gabinete palestino criticou também o que considera “o silêncio da comunidade internacional” e pediu ao mundo que obrigue os israelenses a escolher entre a paz e os assentamentos.

O enviado especial da ONU, Nickolay Mladenov, também condenou com dureza a nova legislação, aprovada nesta terça de forma preliminar pela Knesset (parlamento) e que será votada no plenário amanhã.

“Reitero que todas as atividades nos assentamentos são ilegais sob o direito internacional e vão contra a posição do Quarteto do Oriente Médio de que os assentamentos são um dos principais obstáculos para a paz”, disse Mlandenov em comunicado.

O governo israelense tenta aprovar a legislação para impedir que a justiça possa ordenar a evacuação de qualquer um desses assentamentos levantados unilateralmente pelos colonos e, portanto, ilegais, inclusive para a lei israelense.

Mladenov destaca, além disso, com base em declarações do ministro da Educação de Israel e impulsor da lei, Naftali Benet, que a medida representa “um passo em direção à anexação da Cisjordânia”, ocupada por Israel desde 1967.

Esta lei “poderia ter graves consequências legais para Israel, em toda a Cisjordânia, e reduzirá as perspectivas de uma paz árabe-israelense”.

O Ministério de Relações Exteriores da Palestina pediu ao governo dos Estados Unidos que adote medidas para proteger a solução do dois Estados.

No domingo passado, o secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou em um discurso em Washington que Israel “ignora todas as nossas advertências sobre os assentamentos” e reconheceu que, nessa questão, as coisas “caminham na direção errada”.

Fonte: EFE

Comentários

Carlos em 08/12/2016 02:43:51
àrabes e ONU esperaram as colonias ficarem prontas.. por que estão de olho em se apossar de tais construçoes!!!!! Assim como descaradamente mais sorrateiramente se apossam das terras de Israel.
Carlos em 08/12/2016 02:40:54
Essa ONU é a Besta,,,os 10 reis sao os países árabes que nela estão,,,o Papa, o falso profeta.....so resta surgir o anticristo

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||