Mundo vira-se contra Israel devido lei que legaliza os "Colonatos"

08 de fevereiro de 2017.

 

Ontem à noite, e depois de uma prolongada sessão conturbada e agitada, os legisladores israelenses aprovaram a controversa lei que legaliza os aldeamentos, erradamente conhecidos como "colonatos" construídos em terrenos privativos de palestinos.
 
Segundo esta lei, os proprietários palestinos serão compensados com dinheiro ou com terrenos alternativos, mesmo que não concordem em ceder as suas propriedades. 
 
A votação passou no Knesset por 60 votos a favor contra 52. O debate no parlamento foi agitado, com gritaria da bancada dos opositores à lei contra os seus proponentes.
 
Netanyhau foi de certa forma ultrapassado com esta aprovação, uma vez que, temendo a reação internacional, ele aguardava o encontro com o novo presidente Donald Trump para expôr a situação e obviamente ganhar o apoio do líder norte-americano.
 
A nova administração norte-americana já se havia pronunciado sobre as construções, comentando que as mesmas "não ajudariam" a situação, preferindo posteriormente aguardar pela decisão dos legisladores israelenses.
 
Um dos problemas desta lei é que, segundo os acordos de Oslo, Israel não tem soberania sobre certas zonas da chamada "Margem Ocidental" - as bíblicas Judeia e Samaria - e por outro lado os palestinos que ali vivem não são cidadãos israelenses, pelo que não podem votar.
 
FORTES REAÇÕES INTERNACIONAIS
 
As reações mundiais contra esta nova lei ontem aprovada pelo Knesset não se fizeram esperar. Desde a ONU à Grã-Bretanha, da França até à Turquia, todos verbalizaram a sua condenação, alegando que a decisão irá prejudicar a posição internacional de Israel no seu compromisso com o processo de paz com os palestinos. O presidente francês François Hollande, um dos maiores opositores às novas construções e, que apesar de estar a viver os seus últimos dias à frente do governo francês, continua teimosamente a querer interferir onde não é chamado, afirmou que esta nova lei "abre o caminho à anexação dos territórios ocupados."
 
O gabinete palestiniano apelou também à comunidade internacional para que puna Israel pela aprovação desta controversa lei.
 
A verdade é que Israel é soberano sobre toda a sua terra. Mas a pressão internacional aumentará de dia para dia, cumprindo as profecias milenares que indicam o cada vez maior isolamento de Israel na cena internacional. Mesmo em relação a Trump e suas promessas pró-Israel, nada de concreto foi ainda decidido, temendo-se até que o novo presidente americano volte atrás com algumas das suas promessas feitas a Israel. Para desgraça sua, com toda a certeza.
 
Fonte: Shalom, Israel!

Comentários

C em 08/02/2017 13:12:04
NAO ADIANTA AS NAÇOES QUERER QUEM CUMPRE AS PROFECIAS É O DONO DAS NAÇOES O DEUS DE ISRAEL

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||