Israel avança em ampliação de assentamento em Jerusalém Oriental

02 de novembro de 2016.

 

Israel deu sequência nesta quarta-feira aos trâmites para construir novos imóveis no assentamento de Gilo, no território palestino ocupado de Jerusalém Oriental, medida que tinha sido suspensa em setembro após pressão dos Estados Unidos.

O Comitê de Planejamento e Construção de Jerusalém incluiu na ordem do dia o processo de licitação que foi retirado em setembro da votação, segundo a imprensa local, por coincidir com um encontro entre o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o presidente dos EUA, Barack Obama, contrário aos assentamentos.

"Os planos em questão não são novos, o projeto foi aprovado em 2012. O processo de ontem se referia aos detalhes técnicos para a distribuição da parcela dentro do projeto", disse uma porta-voz da Prefeitura de Jerusalém à Agência Efe.

"A administração local continua trabalhando de acordo com plano urbanístico da cidade e seguirá desenvolvendo Jerusalém para benefício de todos os moradores, tanto judeus como árabes", afirmou.

Para a porta-voz da ONG Paz Agora, Bety Herschman, era previsível que a ampliação do assentamento de Goli voltasse à pauta. "Eles o retiraram antes para evitar uma vergonha política", explicou.

Três edifícios ampliarão a colônia de Gilo, situada na parte ocupada por Israel desde a Guerra de 1967. De acordo com o Escritório Central de Estatísticas do país, nos seis primeiros meses de 2016 foram iniciadas as obras de 1.195 imóveis em colônias, um crescimento de 40% em relação ao mesmo período de 2015.

A ampliação das colônias judaicas nos territórios ocupados é um dos principais obstáculos para a paz entre palestinos e israelenses, segundo a comunidade internacional. 

Fonte: EFE

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||