EUA abandonam o "Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas"

20 de junho de 2018.

 

Já não era sem tempo. Aliás, as ameaças já vinham de há meses atrás. 
 
Acusando este organismo de"hipocrisia" e de ter um"preconceito cronico anti-Israel", a embaixadora norte-americana na ONU Nikki Haley e o secretário de estado Mike Pompeo anunciaram ontem à noite a decisão da administração Trump, e que só peca por tardia.
 
A embaixadora criticou este órgão da ONU por ter como membros países como a Venezuela, a China, o Congo e Cuba, todos eles violadores dos direitos humanos. 
 
Claro que a hipocrita organização de "defesa dos direitos humanos" "Human Rights Watch" veio logo criticar a decisão da administração Trump, alegando que "Donald Trump só está interessado na defesa de Israel."
 
UMA REFORMA NÃO CONSEGUIDA
 
Desde há mais de um ano que os EUA vinham pedindo uma reforma gradual deste órgão da ONU, sugerindo por exemplo que a exclusão de estados membros que cometessem graves violações dos direitos humanos fosse votada por maioria simples, e não por dois terços dos membros. Outra proposta visava um reforço na seleção dos estados membros. 
 
Actualmente, 47 estados fazem parte deste Conselho. 
 
Para além disto, os EUA queriam também que "a questão dos direitos humanos na Palestina" não estivesse sistematicamente na agenda da ordem do dia do Conselho.
 
Apesar das "oportunidades atrás de oportunidades" para mudar, o Conselho fez orelhas moucas aos apelos norte-americanos...
 
Segundo Nikki Haley, "lamentavelmente, está agora claro que o nosso apelo para reforma não foi escutado."
 
ISRAEL, SEMPRE ISRAEL...
 
Os EUA têm sempre denunciado o Conselho pela sua permanente atitude preconceituosa anti-Israel. Prova disso é o facto de Israel ser o único país do mundo com um ponto fixo na ordem dos trabalhos de cada reunião, o famoso "ponto 7". A reunião do Conselho tem lugar três vezes por ano. 
 
SEM PAPAS NA LÍNGUA
 
A embaixadora Nikki Haley não poupou palavras nas suas duras críticas à hipócrita e tendenciosa organização que agora perde um dos seus mais importantes membros.
 
"...Uma organização que não é digna desse nome."
 
"Damos este passo porque o nosso compromisso não nos permite continuar a fazer parte de uma organização hipócrita e egoísta que faz troça dos direitos humanos."
 
ISRAEL CONGRATULA OS EUA
 
O primeiro-ministro israelita Netanyahu aplaudiu de imediato esta decisão norte-americana, apelidando-a de "corajosa", e classificando-a como "uma afirmação inequívoca de que: já chega, é demais."
 
Fonte: Shalom, Israel!

Comentários

jose maria dos santos em 24/06/2018 18:04:02
Com essa tomada de decisão dos EUA saírem do Conselho dos direitos humanos da ONU, fica evidenciado que esta instituição chegará ao seu final em breve, também. Criada para estabelecer a ordem e o equilíbrio entre as nações, no entanto, durante anos o que se viu foi a inoperância dessa Organização Mundial. Nos últimos anos têm-se notado que a ONU tomou uma postura de politica da Neutralidade e da indiferença quanto aos abusos dos EUA em suas guerras no Iraque e das negações de tortura de guerra feita pelos EUA no presidio de Guantánamo, em Cuba. A saída dos EUA da ONU, não deve surpreender a ninguém, pois, os Americanos estão percebendo que suas investidas e negociatas pós-Segunda Guerra, não estão lhes rendendo louros desejados que esperavam e que a Guerra fria entre Russia e China, começaram a tomar rumos mais perigosos nestes últimos 20 anos. Não que a ONU esteja se enamorando com os inimigos de Israel, mas, é porque o príncipe do Norte está se armando para atacar a Israel, obedecendo a linha profética que Deus estabeleceu em Ezequiel 37,38 para acontecer em breve. Os EUA perderam chão em muitos lugares, e com a chegada de Trump ao poder e dizendo que os EUA se importarão com os seus assuntos internos, como vem ocorrendo com certa truculência e o mundo viriam depois, deixou esse uma brecha para os países como Irã, China, Russia, a Europa e demais aliados do Oriente Médio e Africa se alinhasse e se fortalecesse contra Israel também. Por outro lado, não podemos nos esquecer da Europa UNIDA, que ora aqui e acolá se ergue em prol de uma história que se repetirá, que é o Império Romano Redivivo, para o estabelecimento do anticristo em suas quatro linhas, em breve. Concluindo, os EUA não saiu da ONU, e sim, a ONU irá de chegar em breve na sua extinção no meio das Nações dando lugar há um bloco pequeno de nações que, como está escrito em Apocalipse 17.12,13 - "... que os seus intentos conjunto é de dar o reino a besta...". Hoje, a plataforma está toda pronta e aguarda os últimos detalhes para o ESPETÁCULO DE HORROR começar sobre a humanidade! Maranata! P.S: "A saída dos soldados Americanos do Oriente Médio, mostra que Deus está no controle e que quando Gogue e seus aliados atacarem a Israel NAQUELE DIA, não dirá os EUA ou qualquer outra nação, que salvaram a Israel de sua destruição e extinção. Mas, sim, que foi a MÃO poderosa do SENHOR JEOVÁ que o libertou... "(Ezequiel 37,38).
AIRTON JOSE FREITAS MONCÃO em 21/06/2018 08:53:06
QUE A VONTADE DE DEUS VENHA PREVALECER


Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||