Estados Árabes ameaçam Austrália caso reconheça Jerusalém como capital de Israel

16 de outubro de 2018.

 

Perante a informação do atual primeiro-ministro australiano, o evangélico Scott Morrison, de que o governo de Camberra estaria ponderando deslocar a sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, dessa forma reconhecendo a cidade como a capital do estado judaico, os inimigos árabes começaram imediatamente com as suas habituais ameaças, aludindo que tal decisão colocaria em causa as relações com os estados árabes e poria em risco a viabilidade do processo de paz no Médio Oriente.
 
Apesar de Morrison ter ontem apenas dito que o seu gabinete iria ponderar esta questão, mas que nenhuma decisão iria ser tomada nos próximos meses, logo 13 embaixadores árabes apressaram-se em se reunirem hoje mesmo em Camberra para discutirem esta questão.
 
O embaixador egípcio na capital australiana informou esta manhã a agência noticiosa Reuters de que os embaixadores árabes estavam redigindo uma carta para ser entregue à ministra das Relações Exteriores da Austrália Marise Payne, destacando as consequências que alegam resultariam do reconhecimento de Jerusalém por parte da Austrália.
 
"Qualquer decisão deste tipo pode prejudicar o processo de paz" - alegam os árabes, acrescentando: "Isso terá implicações muito negativas nas relações entre a Austrália não só com os países árabes, mas também com muitos outros países muçulmanos."
 
AGRADECIMENTO ISRAELITA
 
Ontem mesmo o primeiro-ministro israelita falou com Morrison, agradecendo-lhe o facto de estar a considerar reconhecer oficialmente Jerusalém como capital de Israel ao deslocar a embaixada do seu país para lá.
 
Jerusalém: a pedra pesada...
 
Fonte: Shalom Israel

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||