Enviada da Guatemala procura local para embaixada em Jerusalém, e enfurece palestinos

05 de março de 2018.

A embaixadora da Guatemala estava nas ruas de Jerusalém nesta segunda-feira pesquisando propriedades para quando seu país seguir o exemplo dos Estados Unidos e transferir sua representação diplonmática para a cidade, uma medida que os palestinos disseram ser ilegal e poder destruir qualquer chance de paz.

Sara Castañeda não quis falar a um correspondente da Reuters que a viu em uma imobiliária ao lado do consulado da Guatemala e a uma rua do edifício de um consulado dos EUA em Jerusalém Ocidental. Ela saiu a pé com o corretor imobiliário e outro homem que indicava propriedades, enquanto seu carro com motorista aguardava.

Publicidade

Um diplomata de Israel que vinha mantendo contato com Sara disse à Reuters que ela busca um local para uma embaixada.

A Guatemala foi um dos poucos países que apoiaram a decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, tomada em 6 de dezembro, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, algo que a maioria das outras nações se recusou a fazer, já que parte da cidade foi tomada durante a Guerra dos Seis Dias de 1967 e é considerada território ocupado.

O status de Jerusalém é um dos maiores obstáculos a qualquer acordo de paz entre israelenses e palestinos, já que estes últimos querem Jerusalém Oriental como sua capital.

Os EUA são uma fonte de assistência importante para a Guatemala, e Trump ameaçou cortar a ajuda financeira a países que apóiem uma resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) que pede que Washington desista de seu reconhecimento de Jerusalém.

Fonte: Reuters

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||