Embaixadora americana na ONU afirma que EUA apoiam 'totalmente' solução de dois Estados

16 de fevereiro de 2017.

 

A embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, declarou nesta quinta-feira (16) que os Estados Unidos apoiam "totalmente" a solução de dois Estados para resolver o conflito entre israelenses e palestinos, sem descartar "alternativas".

"Nós apoiamos totalmente uma solução de dois Estados, mas também estamos pensando em alternativas", afirmou Haley a repórteres logo após uma reunião do Conselho de Segurança sobre o Oriente Médio.

No dia anterior, após um encontro com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu na Casa Branca, o presidente americano Donald Trump afirmou que seu país não iria se ater a esta solução de dois Estados.

Trump afirmou que os EUA vão incentivar um "grande acordo de paz" entre israelenses e palestinos e que caberá aos dois lados negociar diretamente e assumir compromissos caso cheguem a um acordo. Questionado sobre se apoiará uma solução de dois Estados, Trump indicou que poderia seguir o que fosse decidido pelas duas partes.

"Estou considerando dois Estados e um Estado, e eu gosto daquela [solução] que as duas partes gostarem. Eu estou muito feliz com aquela que as duas partes gostarem”, disse ele.

“Eu posso viver com qualquer uma. Eu pensei por um tempo que parecia a dos dois Estados, parecia que poderia ser a mais fácil das duas, mas honestamente se Bibi e se os palestinos, se Israel e os palestinos, estão felizes, eu estou muito feliz com aquela que eles mais gostarem”, afirmou Trump, se referindo a Netanyahu pelo apelido.

Um recuo no apoio à solução dos dois Estados seria uma mudança de décadas de política norte-americana adotada por republicanos e democratas.

'Único caminho'

Durante a reunião do Conselho de Segurança desta quinta, o enviado das Nações Unidas para o Oriente Médio, Nickolay Mladenov, defendeu que a "solução de dois Estados é o único caminho" possível para pôr fim ao conflito entre israelenses e palestinos, informa a agência EFE. Segundo a agência, embaixadores de vários países presentes na reunião demonstraram apoio à criação de um Estado palestino.

"A solução de dois Estados continua sendo o único caminho para conseguir as legítimas aspirações nacionais dos dois povos", disse Mladenov ao Conselho. O diplomata afirmou que os "eventos recentes" em torno do conflito devem preocupar todo o mundo e advertiu contra fórmulas pouco definidas para tentar solucionar o conflito.

A chamada solução de dois Estados conta com o respaldo praticamente unânime da comunidade internacional e foi a opção defendida por Washington desde a presidência de Bill Clinton.

Mladenov também disse que para avançar, é necessário que Israel detenha a expansão dos assentamentos e que os palestinos atuem face à violência e incitação.

"Os palestinos e os israelenses encaram outro período de incerteza e preocupação sobre o que vai acontecer. Peço aos líderes das duas partes que contemplem cuidadosamente o futuro que querem para seu povo", disse Mladenov.

Horas antes de Trump anunciar oficialmente esta mudança, o secretário-geral da ONU, António Guterres, já tinha defendido que a criação de um Estado palestino é "a única solução".

"É preciso fazer todo o possível para realizar esta solução", afirmou na quarta-feira o diplomata português, em visita ao Cairo.

Fonte: G1

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||