Donald Trump vai visitar este mês os berços do judaísmo, do cristianismo, do islamismo e do catolicismo romano

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

05 de maio de 2017. 

 

Não param as surpresas para este mês de Maio...
 
Numa agenda inédita para qualquer presidente norte-americano, e tendo certamente em vista o desalavancar do moribundo processo de paz do Médio Oriente, o presidente norte-americano vai fazer no final deste mês um périplo pelos centros espirituais do judaísmo, do cristianismo e do islamismo. E, como seria de esperar, não voltará a Washington sem passar por Roma para receber a bênção do falso profeta...
 
A primeira paragem de Trump será na Arábia Saudita, berço da religião islâmica, que tantos males tem causado à humanidade, especialmente com os atentados terroristas cometidos por islamitas radicais, ou seja, aqueles que levam a sério a mensagem do sanguinário profeta Maomé.
 
Calcula-se que Trump tentará obter da "amiga" Arábia Saudita uma parceria islâmica para o combate ao terrorismo, e isso passará obviamente pela formação de uma aliança anti-Irã, um dos maiores fomentadores e financiadores do terrorismo islâmico internacional.

 

Israel

Depois da visita política a Riade, a capital saudita, o chefe do governo norte-americano deslocar-se-à a Israel, para uma visita de 2 dias (22 e 23 de Maio), precedendo a celebração do "Dia de Jerusalém", em que Israel celebra os 50 anos - um Jubileu - da libertação e reunificação da sua Capital eterna. Correm especulações de que Trump aproveitará o ensejo para anunciar a mudança da embaixada do seu país de Tel Aviv para Jerusalém. Sinceramente, depois de ter recebido na Casa Branca o líder-terrorista palestiniano e após visitar a Arábia Saudita, um dos grandes financiadores do terrorismo, duvido que Trump tenha "fôlego" para arriscar tanto nas suas imprevisíveis jogadas políticas...

Recordemos que durante a sua recente visita a Washington, o presidente palestiniano Abbas reiterou a Trump o desejo de ver Jerusalém oriental como capital de um hipotético estado palestiniano. 
 
Anunciar a deslocação da embaixada dos EUA para Jerusalém seria nesta fase interpretado como um "ato de má fé" por parte de Trump. Pelo menos aos olhos dos árabes sauditas e dos palestinos.
 
Para além de encontros com os líderes máximos israelitas em Jerusalém, Donald Trump tem marcada uma visita a Belém, para se encontrar com Mahmoud Abbas. 
 
EM ROMA, PARA VER O PAPA...
 
E, claro, este carnaval montado por Trump não poderia terminar sem a bênção do falso profeta, o carismático líder do catolicismo romano...
 
Segundo a agência"Ecclesia", Francisco I receberá Donald Trump em audiência às 08H30 horas locais do dia 24 de Maio. Este será o primeiro encontro oficial entre os dois líderes políticos. 
 
O mês promete. E agora que o representante da Igreja Católica Romana se vai deslocar a Portugal para comemorar os 100 anos de mentiras de Fátima, pode ser que leve a "bênção" da pretensa"Nossa Senhora" a um imaturo presidente, quando do encontro mútuo em 24 de Maio. 
 
Perdoar-me-ão o sarcasmo, mas que isto promete, promete...e como!
 
Fonte: Shalom Israel

Comentários

jacob seiner em 10/05/2017 18:58:47
nao querwmos guerra a paz e uma esperança
waldemar ramalho em 08/05/2017 01:41:39
Espero que o Presidente americano cumpra os seus compromissos feitos a Israel e instale, o quanto antes a embaixada de seu País em Jerusalém, pois, querendo ou não os ditos "palestinos" não tem direitos em impor a Israel a negação de Jerusalém como capital do Estado Israelense. Jerusalém é a capital eterna e indivisível de Israel.
Rômulo Rafael de Andrade Lopes em 07/05/2017 17:25:01
Gostaria de receber notícias diárias do Estado de Israel!!!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||