Documentos da ONU recentemente publicados revelam que já em 1942 os países aliados tinham conhecimento do massacre dos judeus

18 de abril de 2017. 

 

Documentos da ONU de há 70 anos atrás só agora tornados públicos revelam que os países aliados tinham conhecimento do extermínio dos judeus que estava sendo levado a cabo por Hitler muito antes do que até agora se supunha. Estas evidências tinham até agora sido negadas pelo Departamento de Estado norte-americano.
 
Um historiador recentemente entrevistado pelo jornal britânico "The Independent" confirmou que os países do Ocidente - os assim-chamados "aliados" para combater Hitler - tinham conhecimento do extermínio sistemático dos judeus da Europa às mãos de Hitler já em 1942.
 
No seu livro agora publicado "Direitos Humanos depois de Hitler", o historiador Dan Plesch examina os documentos da ONU nunca antes vistos e que provam que os oficiais britânicos mais graduados estavam a par do facto de Hitler estar a embarcar num programa de extermínio que na altura já tinha terminado com a vida de cerca de 2 milhões de judeus, estando outros 5 milhões a caminho de enfrentar as mesmas ameaças mortais.
 
NADA FOI FEITO...
Apesar do conhecimento prévio, nada foi feito pelos aliados para salvar os judeus da morte, revelando uma decisão política consciente por parte dos líderes ocidentais.
 
Plesch, que é professor no "Centro para os Estudos e Diplomacia Internacional" na Universidade "SOAS", em Londres. apresentou documentos provando que o visconde Cranborne, na altura ministro no gabinete de guerra de Winston Churchill, alegou que os judeus não poderiam ser considerados como um caso especial dentro das prioridades globais do esforço de guerra britânico, e que o Império Britânico já estava demasiado saturado de refugiados para garantir um refúgio aos judeus da Europa...
 
No âmago destas descobertas feitas por Plesch nos arquivos da época, estão documentos criminalizando Hitler e seus párias por crimes de guerra cometidos em 1944.Para além disto, estes documentos, ocultos nestes últimos 70 anos, vêm também revelar que os aliados "já tinham começado a documentar acusações de crimes de guerra baseados nos testemunhos contrabandeados dos campos de extermínio e dos movimentos de resistência em vários países ocupados pelos nazis" - revela o "The Independent."
 
JÁ SE SABIA...
 
"As grandes potências comentaram(sobre o assassínio em massa de judeus) dois anos e meio antes daquela que tem sido a data até agora assumida" - afirmou Plesch ao "The Independent."
 
"Tem sido alegado que elas apenas tomaram conhecimento disto quando descobriram os campos de concentração, no entanto elas fizeram estas declarações públicas já em Dezembro de 1942" - acrescentou o historiador.
 
Para além disso, Pelsch acrescentou ainda que a enorme coleção de evidências sobre a "Solução Final", que foi utilizada pelo enviado do presidente norte-americano Franklim D. Roosevelt à"Comissão dos Crimes de Guerra" da ONU Herbert Pell, acabou por ser retirada por anti-semitas no Departamento de Estado norte-americano.
 
Esta revelação comprova mais uma vez que em questões de Holocausto, não há praticamente inocentes...
 
Fonte: Shalom, Israel!

Comentários

marcos em 23/04/2017 23:49:01
O DEUS de Israel um dia os levara a julgamento, a todos, essa justiça nao falha, perseguiram e exterminaram a menina dos olhos de DEUS, mas Ele ira julga los.

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||