Decisão de Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel motiva protestos em vários países

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

08 de dezembro de 2017.

Diversos países registram protestos nesta sexta-feira (8) contra a decisão do presidente americano, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Até o momento, manifestações ocorreram na Alemana, Turquia, Índia, Indonésia, Jordânia e Malásia. Este é o 1º dos "três dias de fúria", convocados pelo Hamas, movimento islâmico com atuação política e um braço armado.

Na quinta-feira (7), o Hamas convocou uma nova intifada (termo utilizado para fazer referência à revolta palestina contra a política de expansão do governo de Israel).

Ismail Haniyeh, eleito líder geral do grupo em maio, pediu que palestinos, muçulmanos e árabes se manifestem contra a decisão dos Estados Unidos. "Deixem 8 de dezembro ser o primeiro dia da intifada contra o ocupante", disse Haniyeh, que chamou esta sexta de "dia da raiva".

Alemanha

Em Berlim, na Alemanha, um grupo se reuniu em frente à embaixada americana com placas contrárias à decisão do presidente Trump.

Indonésia

Na Indonésia, alguns manifestantes queimaram a bandeira americana em frente à embaixada em Jacarta onde se reuniram levando cartazes e bandeiras da Palestina.

O porta-voz da polícia de Jacarta, Argo Yuwono, estimou em declarações à agência Efe que cerca de 500 pessoas se reuniram na capital sem que se registrassem distúrbios maiores. Em Surabaya, a segunda maior cidade do país em número de habitantes, outros grupos se concentraram em frente ao consulado americano.

Malásia

Na capital da Malásia, Kuala Lumpur, pelo menos mil pessoas gritaram palavras de ordem contra Trump e queimaram figuras e fotos do governante perto da embaixada dos EUA, segundo o jornal "Malasiakini".

O protesto contou com a participação de líderes e membros do partido governante Organização Nacional para a Unidade da Malásia (UMNO), grupos que representam a maioria de etnia malaia e religião muçulmana e ONGs islâmicas.

Nesta sexta-feira, dia da grande oração na Esplanada das Mesquitas, Israel reforçou a segurança em Jerusalém.

Jordânia

Em Amã, capital da Jordânia, manifestantes também se reuniram em uma passeata contra a decisão de Washington. Eles levaram cartazes, bandeiras da Palestina e gritaram palavras de ordem contra o presidente Trump.

Fonte: G1

Comentários

Fernando ferreira santos em 10/12/2017 00:05:15
trunp Estar corretamente certo Já estava na Hora disso acontecer .. estou do lado de Trunp e com certeza todos os cristão Também....... que conhece a historia de Israel..

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||