Crescem um pouco por todo o lado críticas ao discurso de John Kerry e à pérfida resolução da ONU

31 de dezembro de 2016.

 

O secretário de estado norte-americano John Kerry recebeu mais críticas pelo seu desequilibrado discurso de anteontem, em que criticou por diversas vezes o governo de Israel e as suas políticas como alegado "poder ocupante" de terras alegadamente "palestinas."
 
Desta vez foi a Inglaterra a criticar Kerry, alegando não ser correto admoestar a composição do governo israelita. A primeira-ministra inglesa Theresa May parece querer inclinar-se cada vez mais para o novo presidente norte-americano Donald Trump, causando "espanto" nos EUA, ainda que o seu país tenha sido um daqueles a votar a favor da pérfida resolução anti-Israel do Conselho de Segurança da ONU.
 
"Não acreditamos ser apropriado atacar a composição de um governo democraticamente eleito de um nosso aliado" - comentou um porta voz da primeira-ministra britânica, em resposta à afirmação de Kerry no seu discurso de que a coligação de Netanyahu era "a mais de direita de toda a História de Israel, com uma agenda conduzida pelos seus elementos mais extremistas."
 
CONDENAÇÃO AUSTRALIANA
 
Malcolm Turnbull, primeiro-ministro da Austrália, veio também a público condenar "a inquietante decisão da ONU", acrescentando que "a Austrália está ao lado de Israel."
 
Segundo o primeiro-ministro australiano, a resolução da ONU é"unilateral" e "profundamente inquietante."
 
Participando de uma cerimônia de acendimento de velas no candelabro judaico, o primeiro-ministro australiano afirmou: "A Austrália está ao lado de Israel. Apoiamos Israel, a única democracia no Médio Oriente."
 
O ministro para os Negócios Estrangeiros da Austrália comentou também que se o seu país participasse na votação da resolução, teria votado contra.

CANADÁ
 
A candidata à liderança do Partido Conservador do Canadá, Kellie Leitch, prometeu hoje na sua página do Facebook:"Se for eleita, deslocarei para Jerusalém a embaixada do Canadá em Israel."

E acrescentou: "À luz do recente voto da ONU e dos comentários de John Kerry, o Canadá tem de mostrar o seu apoio a Israel. Como primeira-ministra, deslocarei para Jerusalém a embaixada do Canadá em Israel."

Já numa postagem anterior, ela havia declarado: "O Partido Conservador do Canadá está ao lado da democracia e de Israel. Como líder, protegerei e fortalecerei a ligação especial entre os nossos povos."
 
Fonte: Shalom, Israel!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||