Com vitória tangencial, Netanyahu prepara novo governo em Israel

10 de abril de 2019.

 

Com os votos praticamente todos contados, a diferença entre o total de votos a favor do partido do governo atual - o Likud - e o novo partido coligado de oposição, o "Azul e Branco", é de apenas 14.000 votos, um sinal de quanto a sociedade israelita está polarizada entre os que preferem uma mudança mais "à esquerda", e os que escolhem a continuidade e a estabilidade garantida pelo primeiro-ministro de Israel.
 
Mal fecharam as urnas de voto, algumas projeções davam a vitória à coligação da oposição, levando o seu líder Benny Grantz a subir ao palco e, assessorado pelos seus pares, proclamar triunfalmente a vitória - algo que me pareceu ridículo e precipitado, uma vez que ainda não se conheciam os resultados de um único círculo eleitoral...
 
35 ASSENTOS NO PARLAMENTO
 
Com 97% dos votos já contados, o partido do atual governo conseguiu 26,27%, representando 35 lugares no Knesset, o melhor resultado desde 2003 e o melhor conseguido até agora por Netanyahu.
 
Confirmando a nova conquista política, Netanyahu classificou o seu triunfo como uma"incrível vitória", e tem bastantes razões para isso, face à renhida competição entre os dois grandes competidores.
 
"Sinto-me muito comovido nesta noite" - afirmou o primeiro-ministro com visível emoção, acrescentando: "Esta é uma noite de uma incrível, uma incrível vitória!"
 
O partido rival "Azul e Branco" conseguiu 25,94%, representando também 35 assentos no parlamento. A diferença na contagem é tangencial, ou seja: apenas 14 mil votos, mesmo assim permitindo que Netanyahu seja o escolhido para agora formar um novo governo de coligação com partidos de direita, extrema-direita e religiosos. 
 
Netanyahu pode agora sentir-se confortável, formando uma coligação com 5 partidos de direita que num total conseguem juntar 30 lugares no parlamento, dando portanto a maioria no parlamento onde se sentam 120 parlamentares.
 
A surpresa vem também da grande percentagem conseguida pelos partidos ultra-ortodoxos, que conseguiram os terceiro e quarto lugar, respectivamente o "Shas", com 6,10% (8 assentos) e o "Judaísmo Unido da Torá", com 5,90%, representando também 8 lugares no parlamento israelita.
 
O partido de tendência árabe "Hadash-Ta'al" conseguiu 4,61 votos, com 6 lugares.
 
O mítico e histórico "Labour", caiu desastradamente para uns meros 4,46%, não passando do sexto lugar, com 6 representantes no parlamento. 
 
MAIOR ABSTENÇÃO
 
O número total de eleitores que compareceram às urnas baixou em relação ao último acto eleitoral. Dos 71,8% em 2015, a percentagem de votantes de ontem baixou para um total de 67,8%.
 
Parabéns, Netanyahu! Mazel Tov Israel!
 
Fonte: Shalom Israel

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||