Após 450 foguetes disparados contra Israel, a 1ª vítima mortal, e as contínuas ameaças terroristas, Israel mobiliza tanques para a fronteira

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

05 de maio de 2019.

Nestas últimas 24 horas mais de 450 foguetes já foram disparados desde Gaza para território de Israel, causando danos em várias casas, deixando as populações em constante sobressalto, provocando a primeira vítima mortal e vários feridos entre a população israelita.
 
Israel entretanto atacou cerca de 220 posições dos terroristas do Hamas e da Jihad Islâmica Palestina, destruindo um túnel e ainda umas instalações para o fabrico de foguetes do Hamas. Não há registo de vítimas do lado palestiniano.
 
Várias casas de líderes terroristas islâmicos onde se encontravam depósitos de munições foram também já arrasadas pela aviação de Israel, para além de rampas de lançamento de foguetes, depósitos de armamento e ainda um centro de comando operacional da Jihad Islâmica Palestiniana situado dentro de uma mesquita em al-Shati.
 
Um prédio de oito pisos da agência noticiosa turca "Anadolou" foi também completamente arrasado pela aviação israelita, uma vez que era usado pelo Hamas e pela Jihad Islâmica Palestiniana para a condução de atividades terroristas. 

 

ISRAEL REFORÇA POSIÇÕES
 
Antevendo um prolongar dos ataques dos terroristas palestinianos, Israel já enviou para a fronteira uma brigada com tanques de guerra. 
 
Vários generais israelitas prevêm a continuação do conflito por mais alguns dias.
 
Os terroristas do Hamas também já ameaçaram aumentar o alcance dos seus ataques contra as povoações civis de Israel.
 
Esta é a grande diferença: os terroristas palestinianos atacam populações civis de forma indiscriminada, visando matar pessoas e destruir os seus bens. Israel, por sua vez, defende-se, atacando e de forma cirúrgica as posições e bases militares terroristas, tudo fazendo para evitar danos colaterais nas populações de Gaza. Aqui está a diferença entre o ódio terrorista dos palestinos e o cuidado daqueles que tudo fazem para poupar vidas humanas...
 
O primeiro ministro israelita Netanyahu decidiu entretanto esta manhã dar ordens às Forças de Defesa de Israel para continuar"ataques maciços" em Gaza, acrescentando que o Hamas está a"pagar um preço muito caro" pelos ataques.
 
A GRANDE MENTIRA PALESTINIANA COMPRADA PELA IMPRENSA MUNDIAL
 
Muitos órgãos de comunicação social informaram ontem da morte de uma mulher e do seu bebé em Gaza, como resultado dos ataques israelitas. O que é irónico e revoltante, é que pouco ou nada têm falado sobre os 450 foguetes disparados contra Israel.
 
A mentira sobre a autoria da morte destas duas pessoas foi entretanto já desmentida pela realidade dos factos no terreno: é verdade, sim, que morreu uma mãe palestiniana com o seu bebé num local jihadista, mas a origem da morte deveu-se ao rebentamento de um foguete disparado contra Israel, mas que explodiu "acidentalmente" logo após o seu disparo, atingindo uma casa em Gaza, causando a morte destas duas pessoas. Obviamente que a verdade não irá ser reposta pela imprensa mundial, uma vez que o seu interesse é claro e objectivo: vitimizar os "pobres oprimidos" palestinianos de Gaza e culpabilizar Israel pela "força desproporcionada" com que ataca Gaza...
 
"CÚPULA DE FERRO" EM GRANDE
 
Segundo informações das Forças de Defesa de Israel, cerca de 70% dos 450 foguetes disparados pelos terroristas palestinianos caíram em descampados, e cerca de 150 que eram direcionados a zonas populacionais foram interceptados e destruídos pelo sistema de defesa antí-míssil "Iron Dome" (Cúpula de Ferro).
 
PRIMEIRA VÍTIMA CIVIL ISRAELITA
 
Apesar da eficácia comprovada do sistema de defesa israelita, alguns foguetes conseguiram mesmo assim atingir casas, causando danos consideráveis, vários feridos, e a primeira vítima mortal, Moshe Agadi, de 58 anos, e pai de 4 filhos, atingido no peito pelos estilhaços de um foguete que caiu no quintal da sua casa. Agadi foi conduzido ao hospital durante a madrugada, mas não resistiu aos ferimentos.
 
Vários foguetes caíram também em pátios de escolas e até de um infantário que, por ordens do governo, se encontram fechados durante o dia de hoje.
 
CONDENAÇÃO INTERNACIONAL
 
Para além dos EUA, que "condenam veementemente a contínua barragem de ataques de foguetes pelo Hamas e pela Jihad Islâmica Palestina disparados contra civis inocentes e suas comunidades em Israel", o embaixador da União Europeia em Israel, Emanuel Giaufret, criticou asperamente os ataques, dizendo serem"inaceitáveis os disparos indiscriminatórios contra civis."
 
Fonte: Shalom, Israel!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||