A Figueira já brotou: A ressurreição física de Israel - A extraordinária visão dos ossos secos (3ª Parte)

23 de abril de 2018.

 

As duas ressurreições mais maravilhosas, poderosas e produtivas anunciadas e comprovadas pelas Sagradas Escrituras são sem dúvida, em primeiro lugar, a ressurreição do Filho de Deus dentre os mortos, o Messias de Israel, e que provocou uma inigualável revolução no mundo espiritual, e, em segundo lugar, o renascimento físico da nação de Israel, simbolizada pelo Messias Jesus no desabrochar das flores e dos ramos da figueira, e pelo profeta Ezequiel, na sua extraordinária visão dos ossos secos. 
 
A VISÃO PROFÉTICA DOS OSSOS SECOS
 
A descrição desta extraordinária visão encontra-se narrada em Ezequiel 37, um texto escrito uns 500 a 600 anos antes de Cristo. 
 
O profeta é levado pelo Espírito a um vale cheio de ossos secos "mui numerosos e sequíssimos." Deus manda Ezequiel falar a Palavra do Senhor aos ossos secos, e eles acabam por se erguer, ajuntar-se osso com osso, aparecendo depois a carne, os tendões e a pele. O profeta assinala que nessa fase ainda não havia espírito dentre deles. Mas com a profecia declarada sobre eles, entra-lhes então o espírito e eles revivificam, tornando-se num "exército sobremodo poderoso."
 
Deus então explica ao profeta quem são e o que representam aqueles ossos secos agora revivificados: "Estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem: Os nossos ossos se secaram, e pereceu a nossa esperança; estamos de todo exterminados. Portanto profetiza e dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Eis que abrirei as vossas sepulturas, e vos farei sair delas, ó povo Meu, e vos trarei à Terra de Israel...Porei em vós o Meu Espírito, e vivereis, e vos estabelecerei na vossa própria Terra. Então sabereis que Eu, o Senhor, disse isto, e o fiz, diz o Senhor."(Ezequiel 37:11-14).
 
UMA RESSURREIÇÃO SINGULAR
 
Não há na Bíblia menção de qualquer outra nação a quem o Senhor Deus tenha prometido "ressuscitar" nos últimos dias e fazer regressar à Sua Terra - a única terra concedida por Deus a um só povo - a não ser a nação e terra de Israel.
 
Esta "ressurreição" da nação de Israel não é instantânea, como foi a de Jesus, e das pessoas a quem Ele ressuscitou. O profeta descreve o demorado processo da restauração, que começa com o ajuntar dos ossos a meio de "um ruído", e que finaliza com a entrada do Espírito de Deus dentro desses corpos, ou seja: a conversão nacional de Israel.
 
UM LONGO PROCESSO
 
Mas todo esse processo é longo, foi iniciado há já várias décadas com os primeiros retornos de judeus à então chamada "Palestina", em finais do século 19, e especialmente a partir da Declaração de Balfour, em 1917. Foi contudo a partir da decisão das Nações Unidas em Novembro de 1947, dividindo a Palestina em 2 partes, para o povo judeu e para o árabe, e especificamente após a declaração da independência de Israel em 14 de Maio de 1948 que se notou um maior "ruído" de movimento de ossos e da "ressurreição" em massa da nação de Israel, agora já com uma terra definida, uma bandeira, um hino nacional e uma constituição. 
 
O plano de Deus estava finalmente em execução, ao fim de quase 2 mil anos de dispersão do povo judeu pelos 4 cantos da terra!
 
Tal como a profecia indica, a ressurreição de Israel iria ter lugar a meio de um ambiente de desolação e destruição. Tudo isso resultado da dispersão dos judeus pelas nações, das muitas atrocidades, pogroms, inquisições e perseguições contra eles perpetrados, culminando no maior genocídio da História humana: o Shoah (Holocausto), que só em 6 anos exterminou 6 milhões de judeus. Os anos de 1939 a 1945 podem ser facilmente vistos como um vale de morte e destruição para o povo judeu.
 
UM PROCESSO DIVINAMENTE ORGANIZADO
 
Este é então o processo da ressurreição do Israel moderno, tal como apresentado pelo profeta Ezequiel:
 
1 - Os ossos ajuntam-se e encaixam-se uns nos outros. Estes ossos representam as pessoas, como que saindo dos campos de extermínio onde ressequiram, ajuntando-se e unindo-se para regressarem à sua Terra e formarem um estado moderno.
 
Quando da declaração da independência do estado de Israel, a população somava uns 800 mil habitantes. Em 70 anos, a população aumentou 10 vezes, para mais de 8 milhões, uma realidade nunca vista em nenhuma outra nação do mundo!
 
Só na década de 90, com a queda da União Soviética, cerca de 1 milhão de judeus russos fizeram "aliyah", o retorno à Terra de Israel. 
 
2 - Os tendões. Os ossos precisam de força, daí a necessidade de tendões.Eles simbolizam a força e a resiliência do povo judeu comprovada ao longo de séculos de perseguição, e agora afirmadas na formação do seu próprio estado, na Terra de Israel, apesar da tenaz oposição de uma grande parte do mundo, e das constantes provocações beligerantes dos países árabes à sua volta.
 
Esta força vem do próprio Deus: "Dos que coxeiam farei a parte restante, e dos que foram arrojados para longe, uma poderosa nação..." (profeta Miqueias 4:7). "A tua mão (Israel) se exaltará sobre os teus adversários; e todos os teus inimigos serão eliminados" (profeta Miqueias 5:9). "...que não passe mais sobre eles o opressor." (profeta Zacarias 9:8).
 
Israel possui hoje um dos mais poderosos exércitos e uma das mais temíveis forças aéreas do mundo. 
 
3 - A carne. Representando o crescimento e o desenvolvimento.Com o fluxo de centenas de milhares de imigrantes judeus retornando à Terra, tornou-se necessário um programa massivo de construção de casas para acomodar todos esses novos habitantes de Sião. Para uma nação tão desprovida de recursos como era Israel, conseguir alojar, alimentar transportar e empregar uma tão grande quantidade de pessoas num tão curto espaço de tempo representaria um verdadeiro milagre, mas, tal como certa vez afirmou o primeiro primeiro-ministro de Israel, David Ben-Gurion,"em Israel, para se ser realista, tem de se acreditar em milagres."
 
Em poucos anos Israel transformou aquilo que era uma terra quase completamente árida e deserta num oásis provido de uma gigantesca infraestrutura eléctrica, energética, hidráulica, para não falar das vastas redes de esgotos e vias de comunicação rasgadas por todo o país. Cidades bíblicas antigas foram reconstruídas, e o rácio de casas construídas nos primeiros 25 anos de estado moderno de Israel é o maior do mundo: 680.000 novas casas, constituindo 70 por cento do total do país!
 
Escusado será ainda falar dos mais que conhecidos mega projetos bem sucedidos relacionados com a reflorestação, agricultura e irrigação, confirmando as antigas profecias: "...velarei sobre eles para edificar e para plantar" (profeta Jeremias 31:28).
 
"Restaurarei a sorte de Judá e de Israel, e os edificarei como no princípio" (profeta Jeremias 33:7).
 
4. A pele. Simbolizando o reconhecimento. A pele identifica o ser humano, revelando a sua singularidade e aspecto. Israel não passa despercebido aos olhos do mundo. A quantidade de tecnologia e de ciência produzida por aquele minúsculo país quase invisível no mapa é sem igual no mundo, fazendo de Israel uma das nações mais desenvolvidas, produtivas e avançadas do planeta. 
 
Mas mais importante do que Israel mostra ser aos olhos do mundo, é aquilo que representa aos olhos de Deus: "Assim diz o Senhor dos Exércitos: aquele que tocar em vós (povo de Israel) toca na menina do Meu olho" (profeta Zacarias 2:8).
 
5. O espírito. O sopro de Deus. Todas as evidências anteriores apontam para a maior e mais importante de todas, aquela que em breve advirá sobre uma parte do povo de Israel: o grande derramamento do Espírito de Deus sobre os israelitas, algo que o mundo até hoje nunca viu. A nação de Israel presente na Terra após os tempos de tribulação e de Ira divina será abençoada com a visitação sobrenatural do Messias, que fará derramar sobre eles o Seu sopro, o Espírito de vida, ressuscitando de vez os seus corações mortos, indiferentes e até rebeldes perante as realidades espirituais oferecidas pelo Messias na Sua primeira vinda e agora para sempre firmadas no Seu retorno a Jerusalém. 
 
"E acontecerá depois que derramarei o Meu Espírito sobre toda a carne, vossos filhos e filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o Meu Espírito naqueles dias" (profeta Joel 2:28-29).
 
"E sobre a casa de David, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; olharão para Mim, a Quem trespassaram...naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de David, e para os habitantes de Jerusalém, para remover o pecado e a impureza" (profetas Zacarias 12:10 e 13:1).
 
Esta última fase do processo completará a restauração, a total ressurreição da nação de Israel, tal como o profeta Ezequiel viu há 2.600 anos atrás.
 
Apesar de ser um evento sobrenatural ainda por vir, a realidade actual já é a de um número crescente de judeus que se vão dia a dia convertendo à fé no Messias Jesus, abrindo os seus olhos para a grande oferta de amor e de salvação espiritual por Ele oferecidos ao Seu povo. O crescente número de assembleias de judeus messiânicos espalhadas um pouco por todo o Israel e por muitos países do mundo é disso uma claro sinal, talvez os "primeiros frutos" da grande colheita a que em breve poderemos todos assistir.
 
E assim, nas palavras do apóstolo Paulo, "todo o Israel será salvo" (epístola aos Romanos, 11:26).
 
Fonte: Shalom, Israel!

 

Comentários

Nilson Porcelli em 24/04/2018 10:08:38
Que explicação maravilhosa, já ouvi muitas pregações, sobre Ezequiel 37, mas sempre fora do contexto real, falando de restauração de sonhos,etc..
Neli Fonseca Marçal em 24/04/2018 08:29:34
Bendito seja o DEUS de Israel que cumpre todas as Profecias para com o seu povo e mostra ao mundo sua fidelidade! É MARAVILHOSO em todas as suas manifestações de amor. Glória a Êle para sempre e sempre!
Augusto César Barbosa do Vale em 24/04/2018 08:02:42
Israel e o testemunho do Deus de amor , e que cumpre todas as suas promessas .Israel está próximo de receber o sopro do Espírito de Deus . Maranata vêm Senhor


MARIA BENTO GANCHEIRO em 24/04/2018 06:48:47
MARAVILHOSA GRAÇA DO SENHOR JESUS CRISTO.
Paulo Lechtenbhomer em 24/04/2018 00:44:49
Quão grande, es tu ó Israel! Que eu, amo de paixão! Não sei se sou Judeu, mas amo muito esse povo!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||