41% dos jovens judeus europeus já consideram imigrar

05 de julho de 2019.

 

Segundo uma pesquisa publicada na passada Quinta-Feira, 41% dos jovens judeus que vivem na Europa já consideraram a possibilidade de emigrar por questões de segurança.
 
Cerca de 2.700 inquiridos, com idades entre os 16 e os 34 anos, confessaram no inquérito querer emigrar da Europa por não se sentirem seguros como judeus. Este inquérito refere-se a dados obtidos no ano passado, 2018.
 
Para além desta situação, cerca de 45% afirmaram não querer vestir, portar ou exibir itens distintivamente judaicos em público, devido a preocupações com a sua segurança.
 
A pesquisa foi feita entre jovens judeus vivendo na Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Hungria, Itália, Holanda, Polónia, Espanha, Reino Unido e Suécia. 
 
Na generalidade, cerca de 44 por cento dos jovens que responderam terem já experimentado assédio antissemita, 12% mais do que os de maior idade também inquiridos, num total de 16.000 pessoas. O inquérito também revelou que oitenta por cento dos jovens assediados não comunicaram o acontecimento à polícia. 
 
Mais de 80 por cento dos jovens judeus europeus afirmaram que a sua identidade judaica está em alta.
 
Cerca de dois terços, ou 62% dos jovens inquiridos afirmaram ter uma forte ligação a Israel, uma proporção praticamente semelhante à da ligação aos países onde vivem.
 
Os jovens judeus europeus estão mesmo assim muito agarrados à sua identidade judaica, ainda que por razões de segurança evitem na sua maior parte ostentar sinais exteriores do seu judaísmo.
 
Shalom, Israel!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||