Tropas de Armênia e Azerbaijão entram em confronto em região disputada de Nagorno-Karabakh

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

02 de abril de 2016.

Forças de Armênia e Azerbaijão entraram em confronto na madrugada deste sábado (02/04) em Nagorno-Karabakh, região independente disputada entre os dois países. Os dois governos se acusam mutuamente de ter iniciado as agressões, que já registram mortos entre soldados e civis.

O governo do Azerbaijão afirma que tropas armênias abriram fogo contra seus soldados na fronteira 127 vezes nas últimas 24 horas, enquanto a Armênia afirma que tropas azeri iniciaram a ofensiva na madrugada com tanques, artilharia e helicópteros.

O Azerbaijão afirma que 12 soldados e um civil azeri foram mortos e um helicóptero de seu Exército foi abatido. O Ministério da Defesa de Nagorno-Karabakh, apoiado pela Armênia, afirma que um garoto de 12 anos foi morto e duas crianças ficaram feridas em um dos ataques azeri. A Armênia afirma que 18 de seus soldados foram mortos e 35 ficaram feridos até agora.

A Rússia, que vende armas para os dois países, pediu que todos os lados envolvidos no conflito cessem as hostilidades imediatamente. O ministro da Defesa, Sergei Shoigu, falou ao telefone com seus homólogos azeri e armênio ao telefone, informou um comunicado do governo russo.

Já o Ministério de Relações Exteriores da Rússia afirmou que Moscou está em contato com outros membros do Grupo de Minsk, criado pela Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) para supervisionar o cessar-fogo assinado em 1994 por Armênia e Azerbaijão após um conflito pelo controle de Nagorno-Karabakh que deixou mais de 25 mil mortos.

O grupo anunciou neste sábado que se reunirá na próxima terça-feira em Viena para conter a escalada de violência na região."Os co-presidentes se reunirão na segunda-feira em Minsk e convocarão para terça-feira uma reunião do Grupo de Minsk devido à violência em Nagorno-Karabakh", anunciou James Varlik, representante dos Estados Unidos, em sua conta no Twitter.

Rússia, EUA e França, co-presidentes do grupo, emitiram um comunicado condenando "firmemente" o uso da força. Eles também pediram o fim das hostilidades e lamentaram o número de mortos nos combates.

"Reiteramos que não há alternativa a uma solução negociada pacificamente e que a guerra não é uma opção", afirma a nota.

Nagorno-Karabakh, controlada por separatistas armênios, fica dentro do território do Azerbaijão, mas é apoiada financeira e militarmente pelo governo armênio. Em 1991 a região declarou independência, a que se seguiu uma guerra que durou três anos e que foi finalizada com um cessar-fogo observado pelo Grupo de Minsk. A tensão, no entanto, permanece alta na região desde então, com confrontos entre tropas armênias, azeri e independentistas acontecendo eventualmente.

Fonte: Opera Mundi.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||