Taiwan reforça defesa com armamento dos EUA; China expressa descontentamento

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

25 de setembro de 2018.

O governo de Taiwan expressou nesta terça-feira um agradecimento aos Estados Unidos pela aprovação de uma nova venda de armamento americano destinado ao reforço dos sistemas de defesa do país asiático, operação que gerou forte descontentamento da China.

O investimento no valor de US$ 330 milhões inclui a aquisição dos caças F-16, C-130 e F-5, e reforça a capacidade do país de se defender, segundo um comunicado do Ministério de Defesa taiuanês.

Em entrevista coletiva, o porta-voz da presidência de Taiwan, Alex Huang, explicou que a aprovação dessa operação representa uma confirmação do compromisso dos EUA com a proteção do país insular.

"Dará confiança para enfrentarmos os crescentes desafios de segurança na região e garantirá a capacidade militar suficiente para manter a paz e a estabilidade no estreito de Taiwan", disse o porta-voz.

Taiwan impulsionará sua indústria armamentista local e intensificará os contatos militares com os Estados Unidos, acrescentou Huang.

Nas últimas semanas, Taiwan anunciou o desenvolvimento de equipamentos bélicos como submarinos, mísseis e aviões autônomos, assim como a instalação de uma base de helicópteros, além de um aumento no orçamento para a defesa.

O governo chinês reagiu rapidamente à operação nesta terça-feira e expressou uma firme oposição à venda de armamento americano a Taiwan.

"A venda de armamento a Taiwan viola severamente o direito internacional e as normas básicas das relações internacionais, assim como os três comunicados assinados entre China e EUA", disse em entrevista coletiva o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang.

De acordo com a China, a aquisição deste tipo de equipamento dos EUA por Taiwan danifica "gravemente" as relações bilaterais e "representa uma ameaça à soberania e à integridade territorial".

"Expressamos nosso profundo descontentamento e firme oposição à venda deste material militar, e apresentamos uma queixa formal à parte americana. Exigimos que os EUA cumpram seus compromissos e interrompam o contato militar com Taiwan, que está causando graves danos às relações bilaterais, assim como à paz e à estabilidade através do estreito", acrescentou o porta-voz chinês.

Fonte: EFE

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||