Senador americano: se não cooperarmos com Rússia, haverá uma guerra mundial

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

15 de setembro de 2016.

 

Os políticos norte-americanos devem se lembrar dos desafios colocados pela era da Guerra Fria e rever a sua posição dura em relação à Rússia a favor de relações mais diplomáticas, disse em entrevista à Sputnik Internacional Rand Paul, senador norte-americano e ex-presidenciável do Partido Republicano.

"As pessoas dizem: 'Vamos dar à Rússia um soco no nariz' ou 'Vamos criar um zona de exclusão aérea e abater aviões russos'. Estas pessoas não se lembram de nada da Guerra Fria quando tentávamos evitar uma guerra com a Rússia", disse Paul à Sputnik Internacional.

Tendo em conta a atual tendência de demonizar a Rússia, Paul explicou que as relações diplomáticas com a Rússia têm sido importantes, especialmente no que toca aos esforços para atingir uma resolução política do conflito na Síria, mergulhada em uma guerra civil já por cinco anos.

"Isso não significa que concordemos em deixar a Rússia fazer o que quiser, mas significa sim que é importante continuar a ter boas relações", declarou Paul.

Durante os debates presidenciais dos republicanos da quarta-feira (14), Paul criticou os seus oponentes mais agressivos pela retórica antirrussa que, na sua opinião, pode vir a provocar uma Terceira Guerra Mundial.

As relações russo-americanas deterioraram-se desde 2014, mas os dois países continuam tendo contatos diplomáticos ao mais alto nível.

Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||