Rússia e EUA acordam intensificar cessar-fogo na Síria

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

09 de maio de 2016.

Moscou - Rússia e Estados Unidos acordaram intensificar seus esforços para garantir que seja aplicado o cessar-fogo em toda Síria e para que chegue ajuda humanitária às populações que necessitem.

"Reconhecemos as dificuldades que o regime de cessar-fogo enfrenta em várias zonas do país, especialmente no período mais recente... Decidimos intensificar nossos esforços para garantir que este regime seja aplicado em todo o país", afirmou nesta segunda-feira um comunicado conjunto de Moscou e Washington divulgado pela Chancelaria russa.

A declaração cita concretamente como zonas onde é preciso intensificar os esforços a Aleppo, Ghouta Oriental e Latakia.

A Rússia se compromete a "trabalhar com as autoridades sírias para minimizar o uso da aviação em zonas onde vivam civis ou formações que observem o cessar-fogo", afirma o comunicado.

Ambos países, como co-patrocinadores do cessar-fogo que entrou em vigor em 27 de fevereiro, afirmam que empregarão sua influência "para pressionar as partes no terreno para que observem a trégua e se abstenham de dar respostas desproporcionais às provocações".

"Pedimos que as partes ponham fim a qualquer ataque indiscriminado contra civis, ou contra infraestruturas civis e instalações médicas", acrescenta o texto.

Também solicitamos às partes que evitem que chegue "apoio material ou financeiro ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI), à Frente al Nusra e outros grupos considerados terroristas pelo Conselho de Segurança da ONU, assim como para impedir que estes grupos cruzem a fronteira síria".

"Todas as partes devem permitir a entrada imediata de ajuda humanitária a todas as populações em necessidade em toda Síria, especialmente nas zonas assediadas e de difícil acesso", afirma.

Coincidindo com a emissão desta declaração conjunta, o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, e o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, falaram hoje por telefone sobre as novas medidas, segundo a Chancelaria russa.

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||