Rússia descarta sanções ao Irã e diz que teste com mísseis não viola acordo

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

14 de março de 2016.

O embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Vitaly Churkin, afirmou nesta segunda-feira que os recentes testes com mísseis feito pelo Irã não violam o acordo nuclear alcançado entre o país e a comunidade internacional, e descartou a imposição de sanções contra Teerã.

Churkin falou rapidamente com a imprensa em sua chegada a uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para analisar os testes com mísseis iranianos, convocada pelos Estados Unidos.

Perguntado se achava que deveriam impor sanções ao Irã, o embaixador russo respondeu: "A resposta curta e grossa é não".

Churkin negou que os testes tenham significado uma uma violação da resolução 2231, o texto pelo qual o Conselho de Segurança ratificou o acordo negociado entre Irã e as potências do Grupo 5+1 (EUA, Rússia, França, Reino Unido, China e Alemanha).

Já o embaixador britânico, Matthew Rycroft, disse aos jornalistas que seu país considera que o Irã ignorou de forma "descarada" a resolução, que impede o país de realizar lançamentos de mísseis capazes de transportar armas atômicas.

As autoridades iranianas argumentam que os mísseis disparados semana passada são armas convencionais e não têm fim nuclear, e que significa que não teriam descumprido a diretriz.

Rycroft disse que o Conselho de Segurança analisará as diferentes opções que tem em mãos, mas que não espera que cheguem a um acordo ainda hoje.

O representante francês na ONU, François Delattre, disse que seu país está preocupado com as ações iranianas e defendeu a necessidade de "discutir" com o resto dos membros do Conselho o que fazer.

Os Estados Unidos, que convocaram a reunião de hoje, se referiram aos lançamentos de mísseis do Irã como "provocadores e desestabilizadores", e condenou as declarações de líderes iranianos em que asseguravam que essas armas estão projetadas para serem uma ameaça a Israel.

As autoridades israelenses insistiram hoje no Conselho de Segurança que o Irã deve ser punido por esses testes.

"Ignorar as violações do Irã dará um sinal verde para continuar com os testes de mísseis nucleares", disse o embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon.

Para Danon, o Conselho de Segurança deve tomar "medidas punitivas concretas" contra o Irã.

Vários meios de comunicação iranianos publicaram que um dos mísseis disparados pelo Irã levava escrita a frase "Israel deve ser apagado da Terra", o que foi citado pelo embaixador israelense.

"Se estivesse escrito que Inglaterra, França, Japão ou qualquer outro país deveria ser eliminado da Terra, o Conselho de Segurança se manteria em silêncio?", questionou. 

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||