Premiê sírio diz que Rússia apoiará novo ataque a Aleppo; para oposição trégua está perto de colapso

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

10 de abril de 2016.

A força aérea russa e militares sírios estão preparando uma operação conjunta para tomar Aleppo dos rebeldes, afirmou o primeiro-ministro sírio neste domingo segundo a agência de notícias TASS, e uma autoridade da oposição disse que o cessar-fogo está à beira do colapso.

Com um enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) esperado em Damasco para um esforço de obter algum avanço diplomático, o "acordo para o fim das hostilidades" intermediado pela Rússia e pelos Estados Unidos ficou novamente sob tensão já que forças do governo e rebeldes lutavam próximo a Aleppo.

O cessar-fogo entrou em vigor em fevereiro com o objetivo de preparar o caminho para a retomada das negociações visando acabar com a guerra que já dura cinco anos. Porém tem sido amplamente violado, com acusações de ambos os lados. A batalha ao sul de Aleppo marca o desafio mais significativo para o acordo.

Enquanto isso, a diplomacia registrou pouco avanço, sem compromisso sobre o futuro do presidente Bashar al-Assad, cuja posição é reforçada pelo apoio militar iraniano e russo.

Um alto funcionário iraniano rejeitou, em declarações para a TV iraniana, o que descreveu como um pedido dos EUA de ajuda de Teerã para fazer com que Assad deixe o poder, dizendo que ele deve cumprir o seu mandato e poder realizar uma eleição presidencial "como qualquer sírio".

O primeiro-ministro sírio, Wael al-Halaki, falou a uma delegação de parlamentares russos sobre os preparativos para "libertar" Aleppo, maior cidade da Síria e centro comercial antes do conflito que eclodiu em 2011. Aleppo é dividida em áreas controladas separadamente pelo governo e pela oposição.

"Juntamente com nossos parceiros russos, estamos nos preparando para uma operação para libertar Aleppo e bloquear todos os grupos armados ilegais que não se juntaram ou romperam o acordo de cessar-fogo", disse ele segundo a agência de notícias TASS.

Dmitry Sablin, membro da câmara alta do Parlamento russo e integrante da delegação, disse à agência de notícias RIA que a "aviação russa irá auxiliar a ofensiva em solo do exército sírio".

Fonte: Reuters.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||