Pentágono "está preparado" se Coreia do Norte atuar de forma "imprudente"

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

24 de maio de 2018.

 

O Presidente dos EUA, Donald Trump, assegurou esta quinta-feira que o Pentágono "está preparado" para adotar as medidas militares necessárias contra a Coreia do Norte, caso Pyongyang responda ao cancelamento da cimeira bilateral com gestos "ingénuos ou imprudentes".

Em declarações na Casa Branca após anunciar o cancelamento da cimeira com o líder norte-coreano Kim Jong-un, Trump advertiu que as Forças Armadas norte-americanas "são de longe as mais poderosas do mundo" e assegurou que permanece em contacto com a Coreia do Sul e o Japão case seja necessária uma atuação conjunta.

"Julgo que este é um grande revés para a Coreia do Norte, e um grande revés para o mundo", disse Trump sobre a sua decisão de cancelar a cimeira que tinha previsto manter com Kim em 12 de junho em Singapura.

"Falei como o general [James] Mattis [secretário da Defesa dos Estados Unidos] e com os chefes de Estado-Maior conjunto. As nossas Forças Armadas, que são de longe as mais poderosas do mundo e recentemente melhoraram enormemente, estão preparadas caso seja necessário", afirmou o chefe da Casa Branca.

Trump confirmou ainda ter contactado com a Coreia do Sul e o Japão.

"Não apenas estão preparados caso a Coreia do Norte adote alguma medida ingénua ou imprudente, mas também estão dispostos a assumir muitos dos custos financeiros juntamente com os Estados Unidos nas suas operações e se nos forçar a entrar numa situação indesejada", garantiu.

No entanto, Trump referiu existir "uma grande oportunidade" para o prosseguimento do diálogo com a Coreia do Norte, e disse esperar que Kim "faça o correto não apenas para si próprio, mas também para o seu povo que está a sofrer enormemente".

"Caso Kim Jong-un decida relacionar-se connosco através do diálogo e de medidas construtivas, fico à espera", assegurou Trump.

"Entretanto, as nossas sanções muito fortes, que são de longe as mais fortes alguma vez impostas, e a nossa campanha de máxima pressão vão prosseguir", acrescentou.

Através de uma carta dirigida a Kim Jong-un e divulgada pela Casa Branca, Trump cancelou a anunciada cimeira bilateral devido à "raiva tremenda e hostilidade aberta" demonstrada pela Coreia do Norte no seu mais recente comunicado.

Fonte: TFI

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||