Otan garante que filiação da Turquia não está em questão

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

10 de agosto de 2016.

A Otan reiterou nesta quarta-feira seu apoio às autoridades democráticas da Turquia após o fracassado golpe militar do dia 15 de julho e afirmou que a filiação do país à aliança militar "não está em questão", mesmo após a aproximação do governo turco com a Rússia.

A organização emitiu um comunicado para responder às informações "especulativas" sobre sua posição após a tentativa de golpe de Estado na Turquia, no qual condenou o levantamento e reforçou seu apoio ao governo em Ancara.

"A Turquia é um aliado valioso, que faz contribuições substanciais aos esforços conjuntos da Otan", disse um porta-voz da organização, que insistiu que "a filiação da Turquia à Otan não está em questão".

Além disso, o porta-voz afirmou que a aliança militar está comprometida com a defesa coletiva e baseada em princípios como "a democracia, a liberdade individual, os direitos humanos e o Estado de direito".

"A Otan conta com as contribuições constantes da Turquia e a Turquia pode contar com a solidariedade e apoio da Otan", acrescentou o funcionário da organização.

O porta-voz explicou que o secretário-geral da Otan, o norueguês Jens Stoltenberg, falou com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, na noite da tentativa de golpe e depois com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para manifestar sua firme condenação ao levantamento e reiterar seu pleno apoio às instituições democráticas da Turquia.

Stoltenberg também ofereceu apoio ao governo da Turquia, manifestou seu respeito à valentia do povo turco, e transmitiu suas condolências para os que perderam a vida no golpe fracassado.

Essas declarações foram feitas depois que Erdogan se reuniu com o presidente russo Vladimir Putin em sua primeira visita ao exterior após a tentativa de golpe, um movimento de aproximação muito significativo porque ocorre em pleno momento de esfriamento das relações entre Turquia e União Europeia.

A Comissão Europeia (CE), por sua vez, se recusou hoje a comentar a reunião entre turcos e russos e se limitou a dizer que espera que o encontro tenha servido para "contribuir para a estabilidade na região e para uma solução pacífica da crise síria", disse a porta-voz comunitária Mina Andreeva durante a entrevista coletiva diária da instituição. 

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||