ONU diz que testes de mísseis do Irã vão contra espírito do pacto nuclear

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

18 de julho de 2016.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, acredita que os testes de mísseis balísticos efetuados pelo Irã em março "não estão em consonância com o espírito" do acordo nuclear selado com as potências internacionais, afirmou nesta segunda-feira em um relatório apresentado perante o Conselho de Segurança.

Ban, no entanto, se abstém no texto de apontar se os testes são ou não uma violação da resolução pactuada.

"Embora corresponde ao Conselho de Segurança interpretar suas próprias resoluções, o secretário-geral ressaltou que devemos manter o impulso criado pela conclusão" do acordo, disse hoje ao apresentar o relatório o responsável de Assuntos Políticos da ONU, Jeffrey Feltman.

Feltman ressaltou a importância de que isso seja feito de forma consistente com o "espírito construtivo" do pacto e, por isso, pediu que o Irã evite esse tipo de lançamentos de mísseis balísticos, que para as Nações Unidas "têm o potencial de aumentar as tensões na região".


O Conselho de Segurança já discutiu então os testes realizados pelo Irã, debates nos quais ficou claro que os Estados-membros fazem diferentes interpretações dos fatos.

Na resolução aprovada há um ano para respaldar a negociação do grupo 5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha) com o Irã, o Conselho de Segurança pedia que Irã deixasse, durante oito anos, de lançar mísseis capazes de levar armas nucleares.

Essa linguagem faz com que, para alguns países como os Estados Unidos, França, Alemanha e Reino Unido, o Irã esteja desafiando a resolução, enquanto outros opinam o contrário.

A embaixadora americana, Samantha Power, reiterou hoje que algumas ações iranianas, embora não violem o pacto nuclear, descumprem pontos da resolução 2231 do Conselho.

No final de maio, a agência atômica da ONU considerou que o Irã está cumprindo todo o estipulado no tratado multilateral sobre seu controverso programa nuclear.

Enquanto isso, Israel aproveitou o debate de hoje para voltar a pedir medidas contra o Irã.

"A comunidade internacional não pode esconder a cabeça sob terra e se conformar com palavras para combater a ameaça iraniana", disse aos jornalistas o embaixador israelense perante a ONU, Danny Danon.

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||