Obama se encontra com Dalai Lama e enfurece a China

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

16 de junho de 2016.

14º Dalai Lama

A China apresentou uma queixa diplomática formal aos EUA em relação à reunião de hoje (15) entre o presidente norte-americano Barack Obama e o Dalai Lama, líder político e espiritual dos budistas tibetanos.

"Vimos relatos deste encontro particular. Pequim apresentou uma queixa diplomática na Embaixada dos EUA na China, expressando nosso enérgico protesto a respeito desta reunião", disse o porta-voz da chancelaria chinesa, Lu Kang. 

"Os problemas do Tibete são assuntos internos da China, nos quais forças externas não devem interferir" acrescentou o diplomata.

A Região Autônoma do Tibete é um território disputado ao norte dos Himalaias. Em 1913, o 13º Dalai Lama, antecessor do atual Tenzin Gyatso, expulsou os representantes e tropas chinesas da região, afirmando a autonomia do Tibete. A independência, porém, não foi aceita por Pequim nem recebeu reconhecimento diplomático internacional.

Em 1950, o Partido Comunista da China assumiu o controle da província tibetana de Kham. No ano seguinte, os delegados do 14º Dalai Lama assinaram com o governo chinês o chamado Acordo de Dezessete Pontos para a Libertação Pacífica do Tibete, que afirmava a soberania chinesa sobre o território. No entanto, o documento não é considerado válido pelo atual Dalai Lama, que afirma que o acordo foi assinado sob coação.    

Em 1959, o Dalai Lama fugiu para a Índia, onde instalou o Governo do Tibete no Exílio em Dharamsala. 

Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||