Obama admite fracasso da trégua na Síria e exige "seriedade" à Rússia

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

05 de agosto de 2016.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que são tantas as violações ao cessar-fogo entre o regime sírio e os rebeldes que ele "praticamente já não existe" e que "é hora de a Rússia mostrar seriedade" e pressionar Bashar al Assad por uma mudança de postura na região.

"As violações ao cessar-fogo chegaram a um nível no qual essa trégua praticamente já não existe, principalmente na região norte" da Síria, disse Obama em sua última entrevista coletiva no Pentágono antes do início de suas férias de verão.

"Dada a deterioração da situação, é hora de a Rússia mostrar seriedade na busca pela paz na Síria", ressaltou o líder americano, para quem os russos precisam fazer com que Assad saia da postura ofensiva e comece a negociar uma solução pacífica para o conflito.

Obama afirmou que o regime sírio e seus aliados "continuam violando a trégua" com "atrozes ataques contra civis indefesos, cercos medievais a cidades como Aleppo e o bloqueio a chegada de alimentos para famílias que estão morrendo de fome".

O chefe de Estado acrescentou que essa atitude de Assad mereceu a condenação da comunidade internacional e que "o envolvimento direto da Rússia nessas ações gera questionamentos muito sérios sobre seu compromisso de estabilizar a situação" no local.

"Os Estados Unidos continuam preparados para trabalhar com a Rússia para tentar reduzir a violência (na Síria) e fortalecer nossos esforços contra o Estado Islâmico (EI). Mas, até agora, a Rússia fracassou na hora de dar os passos necessários", condenou o americano.

Obama explicou que, como não têm certeza se pode "confiar nos russos", os Estados Unidos querem provar que "podem conseguir um cessar-fogo que inclua o fim dos bombardeios e da destruição que estão sendo cometidos pelo regime de Assad".

Até agora, a Rússia não impediu essas violações da trégua por parte do líder sírio, o que, para Obama, pode significar que não querem fazê-lo ou que "não tem influência suficiente" sobre o aliado.

"Se pudermos conseguir uma trégua verdadeira, que evite bombardeios indiscriminados, proteja os civis e gere caminhos (para o fim do conflito), temos que tentar, porque a alternativa é a continuidade da guerra civil", argumentou.

"Vamos ver se isto funciona. Se não funcionar, a Rússia terá mostrado que é um ator irresponsável no cenário internacional e terá que responder por isso", disse Obama. 

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||