Moscou promete resposta dolorosa às sanções dos EUA

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

19 de outubro de 2016.

 

A Rússia encontrará medidas eficazes de resposta às sanções norte-americanas e elas poderão se tornar bastante dolorosas para Washington, disse o vice-ministro das Relações Exteriores Sergei Ryabkov discursando na sessão na Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo).
 
Segundo Ryabkov, neste momento a lista negra norte-americana inclui 281 empresas e 81 representantes das autoridades da Rússia.

Se os EUA acabarem por aumentar as sanções "contrariamente ao bom senso", nós "encontraremos no nosso arsenal medidas que terão efeitos bastante dolorosos" para Washington, declarou o vice-ministro russo. "Principalmente na área relacionada com a posição norte-americana no mundo e a política norte-americana em relação à Rússia e Europa em geral", disse Ryabkov, acrescentando que Moscou não aceita a linha atual da administração norte-americana.
 
Entretanto, Ryabkov sublinhou que Moscou sempre teve oportunidade para aplicar medidas assimétricas, contudo as respostas russas são rigorosamente proporcionais e limitadas e são "precisamente respostas".
 
Quanto às declarações de que as medidas de resposta não são suficientemente eficazes porque não há contas e propriedade norte-americanas na Rússia, Ryabkov disse que isso não é verdade. "Há contas, bem como propriedade, há medidas correspondentes e elas poderão ser bastante dolorosas no futuro, mesmo se forem simétricas", disse.
 
Falando sobre a suspensão do acordo sobre o plutônio, o diplomata destacou que as ações dos EUA e seus aliados na Europa podem permitir a aplicação do artigo 62º da Convenção de Viena sobre tratados internacionais.

"A nossa tarefa principal é colocar os EUA de forma dura perante a questão de que a sua política antirrussa é absolutamente inaceitável", disse Ryabkov.
 
Ele acrescentou que a política atual de Washington se tornou ainda mais arrogante e limitada às tentativas de ditar a sua vontade aos outros países, mas em relação à Rússia ela está condenada ao fracasso. O vice-ministro concluiu dizendo que a Casa Branca deve culpar a si própria pelos problemas em muitas partes do mundo e pelas relações difíceis com a Rússia.
 
A Duma de Estado aprovou a suspensão do acordo com os EUA de 2000 sobre reciclagem do plutônio militar. O documento foi aprovado por 445 deputados com uma abstenção.
 
Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||