Kim Jong-un ordena que exército da Coreia do Norte prepare mais testes nucleares

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

11 de março de 2016.

Líder do país destacou a necessidade de desenvolver mais armamento atômico "para poder executar ataques nucleares ao inimigo de qualquer ponto na terra, ar, mar ou sob a água"

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou nesta sexta-feira (11/03) que seu exército prepare novos testes nucleares, em pleno aumento da tensão na península coreana pelas sanções internacionais sobre Pyongyang e pelas manobras militares de Seul e Washington.

Kim destacou a necessidade de desenvolver mais armamento atômico "para poder executar ataques nucleares ao inimigo de qualquer ponto na terra, ar, mar ou sob a água", segundo informações da agência estatal norte-coreana KCNA.

O líder norte-coreano "deu instruções para dirigir mais testes de explosões nucleares e estimar assim o poder destrutivo de ogivas nucleares de nova produção, além de outros testes para aumentar a capacidade de realizar ataques nucleares", afirmou a agência.

Coreia do Sul

O governo da Coreia do Sul reagiu à nova ameaça do Norte assegurando que "está preparado para responder imediatamente a qualquer provocação", indicou um porta-voz do Ministério da Unificação.


Na quinta-feira (10/03) a Coreia do Norte lançou ao mar dois potentes mísseis de curto alcance, em um momento de máxima pressão para Pyongyang devido à adoção de novas e mais duras sanções internacionais contra os norte-coreanos e às manobras militares realizadas por Coreia do Sul e Estados Unidos.

Seul acredita que foram mísseis tipo Scud, o que representaria a primeira vez em 2016 que o Exército Popular norte-coreano lança este tipo de projétil desenvolvido na União Soviética há seis décadas.

Pyongyang intensificou sua retórica belicista e suas exibições de poderio militar desde a adoção de novas sanções internacionais contra o país, por causa de seu quarto teste nuclear do 6 de janeiro e o lançamento de um foguete espacial, em 7 de fevereiro, considerado um teste de mísseis encoberto.

Kim reiterou hoje "a necessidade de melhorar constantemente a capacidade de ataque nuclear impulsionando a cooperação entre as áreas de pesquisa de armas nucleares e de foguetes", segundo o comunicado da KCNA.

Fonte: Opera Mundi.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||