Kerry denuncia "militarização" do Mar da China meridional

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

06 de junho de 2016.

O secretário de Estado americano, John Kerry, denunciou neste domingo a "militarização" por parte de Pequim das zonas marítimas em disputa no Mar da China meridional e advertiu Pequim contra qualquer "provocação" na região.

O governo dos Estados Unidos consideraria "um ato de provocação e desestabilizador" a eventual instalação por parte da China de uma Zona Aérea de Defesa e Identificação sobre áreas do Mar da China, disse Kerry. 

"Isto elevaria a tensão de forma automática", completou o secretário de Estado em uma entrevista coletiva na capital da Mongólia.

"É crucial que nenhum país adote medidas unilaterais para militarizar a região", concluiu Kerry, que na segunda-feira iniciará uma visita de dois dias a China.

A China reivindica a quase totalidade do Mar da China meridional, onde o país realiza obras ao redor de pequenas ilhas, o que gera a inquietação de vizinhos como Vietnã, Filipinas, Brunei e Malásia.

Pequim exige que sejam considerados como suas águas territoriais e seu espaço aéreo a zona de 12 milhas ao redor das construções no arquipélago das Spratleys, chamadas de ilhas Nansha pela China.

Pequim e Washington têm divergências na questão, pois o governo americano afirma que a liberdade de navegação prevalece nestas águas estratégicas, importante para o transporte de mercadorias e por seu potencial de combustíveis.

No sábado, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, advertiu Pequim contra um risco de "isolamento", caso o país prossiga com as operações no Mar da China meridional.

"As ações da China no Mar da China meridional a isolam, em um momento no qual o conjunto da região se aproxima e colabora", afirmou o chefe do Pentágono durante uma reunião de ministros da Defensa da região Ásia-Pacífico em Cingapura.

Durante a mesma reunião, o almirante chinês Sun Jianguo respondeu neste domingo e acusou Washington de provocações. Também afirmou que "os países externos à região deveriam desempenhar um papel construtivo e não o inverso. O tema do Mar da China meridional se envenena por causa das provocações de certos países que respondem a seus interesses egoístas".

Fonte: AFP.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||