Itália envia militares para Letônia e irrita Rússia

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

14 de outubro de 2016.

 

A ministra da Defesa da Itália, Roberta Pinotti, confirmou nesta sexta-feira (14) que militares do país serão enviados para a Letônia para compor uma coalizão da Otan.   

A notícia desagradou à Rússia, mesmo a Itália ressaltando que esta decisão não é nova e nem se trata de uma provocação a Moscou. De acordo com Pinotti, o envio de soldados faz parte de uma estratégia delineada na Cúpula de Varsóvia para reforçar a segurança nas fronteiras do leste do continente. "A Itália enviará nos próximos meses 140 soldados para a Letônia para participar de uma força da Otan guiada pelo Canadá", explicou o ministro das Relações Exteriores da Itália, Paolo Gentiloni, em uma coletiva de imprensa com o secretário-geral da aliança militar, Jens Stoltenberg. "A Itália sempre contribuiu com um reforço defensivo em países do nordeste e da aliança atlântica".

O chanceler destacou que a decisão tinha sido tomada há meses e negou que tenha relação com a escalada de tensão na Síria, onde a Rússia atua como aliada do regime do ditador Bashar al-Assad. "O envio de soldados não é uma política de agressão contra a Rússia, mas de reforço e defesa das nossas fronteiras", comentou Gentiloni. Mesmo assim, a Rússia reagiu ao anúncio. "A política da Otan é destrutiva. A aliança está empenhada na construção de novas linhas divisórias na Europa, em vez de aprofundar as boas e sólidas relações de boa vizinhança", disse a ministra russa das Relações Exteriores, Maria Zakharova.

Fonte: ANSA.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||