Israel preocupado com os possíveis desdobramentos da trégua na Síria

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

25 de fevereiro de 2016.

Telefonemas de Netanyahu  para Putin pedem esclarecimentos sobre o cessar-fogo quanto ao Sul  da Síria 

O primeiro-ministro Netanyahu telefonou para o presidente russo, Vladimir Putin, nesta quarta-feira, 24 de fevereiro, para descobrir como o cessar-fogo sírio parcial que entrará em vigor sábado, 27 de fevereiro, vai afetar a segurança na fronteira norte de Israel. De acordo com o comunicado do Kremlin, "Os dois líderes discutiram o Oriente Médio e chegaram a um acordo para realizar uma série de reuniões de contato de alto nível."

Foi ainda acordado sobre "uma série de contato [encontros] no alto e mais alto nível, tendo em consideração o 25º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países", disse o comunicado.

É difícil acreditar que o presidente russo, profundamente imerso em relações tensas com EUA, Turquia, Arábia Saudita, amarre as extremidades do cessar-fogo sírio que se aproxima, daria a sua atenção para a celebração de um acontecimento histórico.

As palavras fizeram no entanto dar a impressão de que o líder russo estava fazendo um esforço para acalmar as apreensões de Israel sobre a próxima fase da crise síria.

De acordo com nossas fontes, Netanyahu ligou para Putin quando soube que os presidentes russo e americano concordaram em obter o cessar-fogo parcial começando no sul da Síria, ou seja, na parte da frente mais próximo às fronteiras de Israel e Jordânia.

Autoridades militares israelenses e jordanianas têm vindo a tentar obter uma imagem de como esses arranjos irão trabalhar e afetar a sua segurança nacional, mas Washington e Moscou estão igualmente segurando informações. Esta é também a reação do Diretor Geral Dore Gold do Ministério do Negócios Estrangeiros israelita obteve quando chamou o chanceler russo, Sergei Lavrov em Moscou, em 18 de fevereiro. O ministro foi educado mas evitou respostas diretas a perguntas.

Israel é o mais profundamente preocupado com a possibilidade de que as forças do exército da Síria, do Irã e do Hezbollah atualmente em força de total lancem ofensiva no Sul da Síria, explorando o cessar fogo para avançar em direção a sua fronteira no Golan com intenção hostil.

Com apenas três dias para seguir antes da trégua entrar em vigor, Israel ainda não recebeu quaisquer respostas claras sobre se a força aérea russa continuará atacando elementos rebeldes sírios considerados "terroristas" inabaláveis na proximidade de suas fronteiras do norte.

Autoridades dos EUA têm tentado nas últimas 24 horas atenuar as preocupações de Israel, mas eles não são mais próximos com informações claras do que os russos.

Portanto, Netanyahu pegou o telefone e ligou para o presidente russo, com quem mantém um diálogo amigável, para descobrir o que está à frente, na esteira da trégua e pedir garantias de que as forças sírias, iranianas e do Hezbollah não serão permitidas aproveitar a calmaria para ganhar terreno.

O primeiro-ministro também pediu Putin informações sobre o enorme negócio de armas de US $ 14 bilhões que a Rússia fechou com o Irã.

No início de janeiro, Putin prometeu a Netanyahu que ele iria se certificar de que as forças do Hezbollah não seria parte da ofensiva do Exército sírio, apoiado pela Rússia no Sul. Mas, em seguida, em 27 de janeiro, uma grande quantidade de combatentes do Hezbollah entrou no sul da cidade de Daraa e ataques aéreos russos aproximando cada vez mais perto da fronteira com Israel, até explosões podiam ser ouvidos em Israel a uma distância de não mais do que algumas centenas de metros.

Fonte: Um Novo Despertar.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||