Intervenção militar dos EUA na Venezuela seria um desastre, diz Putin

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

06 de junho de 2019.

 

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira que seu país não está criando bases militares nem enviando tropas àVenezuela, mas “deve honrar suas obrigações contratuais com o país sul-americano quanto à manutenção dos equipamentos vendidos anteriormente”.

Putin fez a afirmação durante uma reunião com os máximos responsáveis pelas principais agências mundiais de notícias, entre eles o presidente da Agência Efe, Fernando Garea.

“Vendemos armas à Venezuela antes, recentemente não vendemos. Segundo os contratos, temos que honrar nossas obrigações e nossos especialistas sempre o fizeram”, destacou o presidente russo, admitindo que é possível que parte do pessoal russo já tenha deixado o país latino-americano.

“É muito provável que nossos especialistas, não só os militares, mas também os industriais, tenham terminado alguns trabalhos lá”, disse Putin.

Putin ressaltou que a Rússia cumpriu e vai continuar cumprindo suas obrigações contratuais no âmbito técnico e militar, afirmando também que seu país é contra a ingerência nos assuntos internos da Venezuela.

“Somos contra a intervenção em assuntos políticos de outros países, consideramos que isso leva a consequências graves, por não dizer trágicas, e o caso de países como Líbia e Iraque é o maior exemplo disso. O caminho para o inferno é pavimentado de pedras de boas intenções”, destacou Putin.

Fonte: Exame

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||