Índia e Paquistão afirmam ter derrubado aviões 'inimigos'

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

27 de fevereiro de 2019.

 

A tensão entre a Índia e o Paquistão na região da Caxemira aumentou nesta quarta-feira (27), quando os dois países anunciaram terem derrubado aviões "inimigos". Companhias aéreas indianas cancelaram seus voos e aeroportos da região estão fechados. O Paquistão fechou seu espaço aéreo "até nova ordem".

A escalada ocorre um dia depois de a Índia ter dito que lançou um "ataque preventivo" contra uma área do território da Caxemira controlada pelo Paquistão que deixou vários mortos, algo que foi negado por Islamabad.

O Exército do Paquistão anunciou que derrubou dois caças indianos em seu espaço aéreo e capturou os pilotos, insistindo que "não quer seguir no caminho da guerra" com o vizinho.

Já a Índia disse que perdeu um de seus aviões e anunciou ter derrubado um caça paquistanês no espaço aéreo da Caxemira.

O que diz o Paquistão

"A Força Aérea do Paquistão derrubou dois caças indianos dentro do espaço aéreo paquistanês", depois que o Paquistão realizou bombardeios em território indiano, afirmou o porta-voz do Exército, o major-general Asif Ghafoor.

O porta-voz indicou que uma das aeronaves caiu dentro da Caxemira paquistanesa e o outro na área indiana, que é densamente militarizada.

"Não queremos uma escalada. Não queremos seguir no caminho da guerra", disse o porta-voz militar paquistanês, general Asif Ghafoor, antes de pedir o diálogo com Nova Delhi.

Um dos pilotos capturados está sob custódia e o outro está em um hospital, completou. O porta-voz negou as informações de que um caça paquistanês foi derrubado.

O Ministério das Relações Exteriores paquistanês confirmou que seus caças "atingiram" hoje território indiano sem causar perdas humanas ou materiais, mas demonstrou sua capacidade de autodefesa.

"A Força Aérea do Paquistão realizou bombardeios através da Linha de Controle (LoC, fronteira de facto na Caxemira) do espaço aéreo paquistanês", afirmou o ministério através de um comunicado.

A chancelaria explicou "não se tratar de uma vingança" e que o ataque esteve dirigido contra "alvos não militares, evitando perdas humanas e efeitos colaterais".

O que diz a Índia

Pouco depois, o porta-voz do ministério das Relações Exteriores da Índia, Rajeesh Kumar, anunciou que um caça paquistanês foi derrubado quando participava em uma operação contra "objetivos militares do lado indiano".

"O avião paquistanês foi observado por forças terrestres caindo do lado paquistanês", disse.

"No confronto, infelizmente perdemos um Mig-21. O piloto está desaparecido em combate. O Paquistão alega que o mantém em seu poder", disse Kumar.

Voos suspensos

De acordo com a agência Reuters, as companhias aéreas indianas cancelaram seus serviços para ao menos seis cidades no norte da Índia e diversos aeroportos estão fechados por conta da tensão após os ataques aéreos.

IndiGo, Jet Airways, GoAir e Vistara informaram através de comunicados que vários voos estão temporariamente suspensos.

O Paquistão também afirmou que fechará seu espaço aéreo "até nova ordem".

"A Autoridade da Aviação Civil fechou oficialmente seu espaço aéreo até nova ordem", anunciou a agência no Twitter.

Conflito na Caxemira

A Caxemira, na região do Himalaia, foi dividida entre Índia e Paquistão ao fim da colonização britânica. Os dois países reivindicam a totalidade do território, o que provocou duas das três guerras que enfrentaram desde a independência, em 1947.

De acordo com analistas, a Índia mantém 500.000 soldados mobilizados em sua região, o que faz desta uma das zonas mais militarizadas do mundo.

Grupos rebeldes como o Jaish-e-Mohammed (JeM) reclamam seja a independência, seja a anexação ao Paquistão, e estão em luta permanente desde 1989 contra meio milhão de soldados indianos mobilizados no território.

A tensão entre Índia e Paquistão se acirrou desde um atentado suicida em 14 de fevereiro na Caxemira indiana que matou 40 soldados indianos. O atentado foi reivindicado pelo JeM.

Bombardeio desta terça

Nesta terça, o governo indiano anunciou que bombardeou em solo paquistanês acampamentos insurgentes do JeM.

Segundo a versão de Nova Délhi, na ação morreram "um número significativo de terroristas, comandantes e jihadistas do JeM, que estavam sendo treinados para cometer novos ataques".

O Paquistão, no entanto, negou baixas ou danos e apenas admitiu uma breve invasão aérea de seu território e o lançamento de quatro bombas que caíram em espaços abertos.

Fonte: G1

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||