Exército turco bombardeia posições do PKK no leste da Turquia

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

04 de setembro de 2016.

O exército turco bombardeou uma dezena de alvos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no leste da Turquia, num momento em que Ancara continua suas operações na vizinha Síria.

Estes novos bombardeios ocorrem poucas horas depois da morte de 22 soldados turcos e de um vigia em confrontos com o movimento rebelde curdo na mesma região, e enquanto a Turquia se encontra afundada em uma ofensiva militar no norte da Síria contra o grupo Estado Islâmico (EI) e contra as milícias curdas.

Na tarde de sábado, entre as 17h42 e as 18h07 GMT (14h42 e 15h07 de Brasília), segundo a agência pró-governamental Anatolia, que cita fontes militares, os aviões turcos destruíram quatro posições do PKK perto de Cukurca, na província de Hakari (sudeste), próxima à fronteira iraquiana.

Outras seis posições do PKK foram bombardeadas na região do monte Tendurek, entre as províncias de Agri e Van (leste), entre as 21h08 e as 21h27 GMT (18h08 e 18h27 de Brasília), acrescentou a mesma fonte.

Em um comunicado, o exército indicou ter neutralizado 100 militantes do PKK em confrontos com suas forças no sábado, sem informar quantos feriu ou matou.

O PKK, considerado uma organização terrorista por Turquia, Estados Unidos e União Europeia, realiza regularmente ataques contra as forças de segurança turcas, que deixaram centenas de mortos desde que há um ano foram suspensas as negociações entre o grupo e o governo turco.

Segundo a agência privada Dogan, a maioria dos rebeldes curdos se retiraram ao norte do Iraque, onde o grupo tem suas bases de retaguarda.

Desde o início do conflito curdo na Turquia, em 1984, 40.000 pessoas morreram e centenas de milhares precisaram fugir.

- Apelo à solidariedade -A Turquia intensificou recentemente sua luta contra os combatentes curdos com sua ofensiva "Escudo de Eufrates", lançada em 24 de agosto para expulsar do norte da Síria o EI e as milícias curdas ligadas ao PYD (Partido de União Democrática), considerado por Ancara o braço sírio do PKK.

Neste domingo, à margem da cúpula do G20 na China, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, convocou os países da Otan - da qual a Turquia é integrante - a manter uma postura comum sobre todas as organizações "terroristas".

"Não há terroristas bons ou maus. Todas as formas de terrorismo são ruins e devemos estar unidos contra elas", declarou após se reunir com seu colega americano, Barack Obama.

Erdogan insistiu na necessidade de evitar a qualquer custo a formação de um "corredor do terror" na fronteira turco-síria, em referência ao desejo das milícias curdas de unir os cantões de Afrin e Kobane, no norte da Síria, para formar uma zona autônoma com continuidade geográfica.

"Para evitar este corredor do terror, as forças da coalizão devem ser solidárias com a Turquia nesta luta. Acredito que sairemos vitoriosos deste combate", afirmou o presidente turco.

Depois de ter aberto no sábado um novo front na Síria ao enviar tanques à localidade de Al Rai para combater o EI, o exército turco bombardeou na noite de sábado quatro alvos dos extremistas, segundo um comunicado divulgado pelas agências pró-governamentais.

Neste domingo, os combates contra o grupo extremista continuavam na zona, especialmente ao sul de Al Rai, segundo a televisão turca NTV.

Fonte: AFP.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||