Ex-diplomata norte-americano: 'Estou falando sobre guerra nuclear contra Rússia ou China' caso Hillary ganhe as eleições

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

16 de setembro de 2016.

 

O Partido Democrata dos EUA continua jogando a 'carta da ameaça russa' como parte de sua campanha eleitoral, criticando republicanos por fazerem comentários positivos sobre a Rússia e seu líder. O ex-diplomata americano, James George, explicou à Rádio Sputnik as razões por trás da retórica russófoba.

Recentemente, Barack Obama criticou duramente o candidato republicano, Donald Trump, devido às suas observações positivas sobre o presidente russo, Vladimir Putin. O atual presidente dos EUA fez tais declarações durante o discurso da campanha da candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton.

O ex-diplomata norte-americano e assessor dos republicanos no Senado norte-americano, James George, relatou qual lógica está por trás de tais observações durante sua entrevista à Sputnik:

"Acho que [Obama] continua com todo esse ‘meme russófobo’, pois ele está tentando distrair [o público] <…> dos problemas de saúde de Hillary, escondendo a verdade sobre as complicações e fazendo com que ele [Obama] fique na ofensiva, enquanto eles pensam uma boa forma de trazê-la de volta."

No entanto, James George disse por que tal posição não é correta em relação à Rússia: "Agora, levando em consideração que a Rússia não é mais um país comunista há um quarto de século, [podemos] sugerir: acho que está na hora de começarmos a nos relacionar com eles".

Segundo ele, além da Rússia não ser mais um país comunista, em muitos aspectos, é um país bastante conservador, onde a Igreja desempenha um forte papel na vida pública.

"Os russos não aceitam um monte de coisas: casamentos entre pessoas do mesmo sexo, transgêneros e todos esses absurdos que presenciamos na América e na Europa hoje em dia <…> Um monte de progressista realmente odeia a Rússia", observou o especialista norte-americano. James George também explicou a lógica por trás dos duros comentários, feitos pelos democratas, sobre Trump e a atitude geral negativa em relação ao candidato republicano.

"Hillary é uma candidata da oligarquia. <…> No entanto, Trump, ninguém sabe como, conseguiu vencer a oligarquia do Partido Republicano. Por isso, nós vemos <…> uma grande parcela dos republicanos que é contra o Trump e a favor de Hillary", disse ele.

Hillary nunca conheceu uma guerra que ela não tenha gostado

Uma das razões, apontada por James George, sobre a preocupação de muitos no que diz respeito às condições políticas e físicas de Hillary, estaria relacionada à possibilidade de "banho de sangue no Partido Democrata durante a decisão de quem, possivelmente, chegaria a substitui-la".

Segundo o ex-diplomata, as perspectivas são mais preocupantes caso ela ganhe a eleição.

Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||