EUA detectam lançamento de míssil balístico intercontinental pela Coreia do Norte

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

28 de julho de 2017.

 

Pentágono afirmou ter detectado nesta sexta-feira (28) o lançamento de míssil balístico intercontinental pela Coreia do Norte. O míssil foi lançado de Mupyong-Ni e percorreu 1.000 km antes de cair no Mar do Japão, de acordo com o Pentágono. O Japão diz que o míssil teria caído nas águas de uma zona econômica exclusiva do país (ZEE). Não há relatos imediatos de danos, segundo a agência Reuters.

A Coreia do Sul confirmou o lançamento, e afirmou que o tipo de míssil que foi lançado é mais avançado do que o que foi testado no dia 4 de julho, segundo a agência Yonhap. O lançamento ocorreu por volta das 11h45 (no horário de Brasília), segundo o porta-voz do Pentágono, o Capitão Jeff Davis.

Os chefes militares dos EUA e da Coreia do Sul analisam “opções de resposta militar”. O general Joe Dunford, chefe do Estado Maior dos EUA, e o almirante Harry Harris, responsável pelo Comando dos EUA no Pacífico, conversaram com o general Lee Sun Jin, chefe do Estado Maior Conjunto da Coreia do Sul.

“Durante a conversa, Dunford e Harris expressaram seu compromisso com a aliança Estados Unidos – Coreia do Sul”, informou o escritório de Dunford em um comunicado. “Os três chefes também analisaram diversas opções de resposta militar”.

Zona econômica exclusiva

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou que o míssil possivelmente atigiu uma zona econômica exclusiva do Japão (ZEE).

A ZEE é uma faixa costeira com um raio de 200 milhas náuticas (370 km), além das águas territoriais de um país. Um espaço marinho no qual o país costeiro tem prerrogativas na utilização dos recursos naturais, tanto vivos como não-vivos, e responsabilidade na gestão ambiental.

Abe ainda declarou que uma reunião do Conselho de Segurança Nacional seria convocada e que o Japão tomaria as medidas necessárias para garantir a segurança de seus cidadãos.

Abe também salientou como esse lançamento mostra claramente que "a ameaça contra a nação japonesa é concreta e real", e pediu que Estados Unidos, Rússia, China e Coreia do Sul aumentem as pressões contra a Coreia do Norte para limitar testes missilíssimos futuros.

O secretário-chefe do Gabinete japonês, Yoshihide Suga, disse mais cedo que o míssil voou por cerca de 45 minutos e que seu lançamentoera inaceitável e uma clara violação das resoluções da ONU.

O novo teste acontece semanas depois de Pyongyang ter testado com sucesso seu primeiro míssil balístico intercontinental. A emissora estatal "KCTV" informou o míssil novo, Lançado em 4 de julho, o míssil batizado como Hwasong-14, alcançou uma altura máxima de 2.802 km e percorreu 933 km em 39 minutos e caiu no Mar do Japão.

A rede americana CNN, citando uma fonte, afirma que os EUA acreditam que a Coreia do Norte poderá lançar um míssil balístico intercontinental (ICBM) com capacidade nuclear no início de 2018.

Fonte: G1

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||