Erdogan se desculpa perante Putin por morte de piloto russo

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

27 de junho de 2016.

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, sorrindo durante reunião em Moscou, dia 03/02/2016

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, enviou uma carta ao presidente russo, Vladimir Putin, na qual se desculpa pela morte do piloto russo cujo caça foi derrubado por um avião de Ancara na fronteira turco-síria em novembro do ano passado, informou nesta segunda-feira o Kremlin.

"Quero expressar mais uma vez minhas profundas condolências à família do piloto russo morto e peço desculpas. Compartilho de todo coração com sua dor. A família do piloto é para nós uma família turca. Estamos dispostos a qualquer iniciativa para aliviar a dor e reparar o dano causado", citou o Kremlin as palavras de Erdogan.

O piloto russo Oleg Peshkov foi assassinado em território sírio pelas milícias turcomanas opositoras ao regime de Damasco após a captura do caça Su-24 derrubado pelas forças turcas quando tinha invadido, segundo Ancara, o espaço aéreo turco.

"Nunca tivemos a intenção e nem o desejo de derrubar um avião da Federação da Rússia", acrescentou o líder turco.

Em sua mensagem, Erdogan, segundo o comunicado do Kremlin, assegura que "em relação ao cidadão da Turquia ao qual é associada a morte do piloto russo, foi iniciada e está em andamento realizada uma investigação".

Erdogan se mostrou disposto, além disso, a fazer todo o possível "para restabelecer as tradicionais relações de amizade entre Turquia e Rússia, assim como para reagir às crises na região e lutar contra o terrorismo", disse aos jornalistas o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O caso com o caça russo ocasionou uma grave crise nas relações entre os dois países e levou o presidente russo a acusar a Ancara de dar na Rússia uma "punhalada pelas costas" e de sustentar com dinheiro, meios e guerrilha os jihadistas do Estado Islâmico.

A Rússia reagiu com uma série de sanções econômicas contra Ancara, desde as restrições às importações de alimentos até a proibição às operadoras de vender viagens à Turquia, que recebia até então milhões de turistas russos todos os anos.

Fonte: EFE.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||