Donald Trump diz não querer guerra com Irã, mas que haverá 'destruição nunca vista' caso conflito ocorra

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

22 de junho de 2019.

 

Em entrevista à emissora norte-americana NBC nesta sexta-feira (21), o presidente dos Estados UnidosDonald Trump, disse que não quer guerra com o Irã. Porém, ele disse que, caso um conflito ocorra, "haverá destruição jamais vista".

A crise entre os dois países piorou depois que militares iranianos destruíram um drone norte-americano no estreito de Ormuz. O Irã disse que o aparelho sobrevoava o espaço aéreo local, mas os EUA argumentavam que a aeronave estava em águas internacionais.

Trump afirmou, mais cedo, que desistiu de atacar o Irã 10 minutos antes de iniciar uma ofensiva após saber que a ação norte-americana deixaria mortos (leia mais abaixo).

Perguntado pelo repórter Chuck Todd se aviões já estavam a postos para um ataque ao Irã, Trump respondeu que não, "mas que estariam rapidamente". De acordo com agências de notícias, uma ofensiva já estava sendo preparada e os Estados Unidos haviam inclusive alertado o governo iraniano.

"As coisas teriam ocorrido em um ponto que não seria possível voltar atrás", afirmou Trump.

Em meio à crise, os Estados Unidos se preparam para retirar cerca de 400 pessoas que trabalham para empresas em uma base militar no norte de Bagdá, no Iraque, por riscos à segurança, informaram fontes à agência Reuters.

Ataque abortado

Em uma série de textos publicados em uma rede social, Donald Trump afirmou que os Estados Unidos estavam prontos para bombardear o Irã, mas ele decidiu interromper a ação 10 minutos antes.

"Nós estávamos com o gatilho pronto e carregados para retaliar na última noite, em três pontos diferentes quando eu perguntei quantos morreriam", escreveu Trump.

Um general respondeu a ele que seriam 150 mortos. Trump, então, interrompeu a ação dez minutos antes do horário previsto para o ataque.

Transporte de petróleo

O drone foi derrubado perto do Estreito de Ormuz, por onde se escoa cerca de um quinto de todo o petróleo do mundo. O local já estava sob tensão porque, uma semana antes, dois navios petroleiros foram atacados há uma semana na região.

Os EUA acusaram o Irã de estar por trás dos incidentes. O exército americano tornou público um vídeo que, segundo eles, mostra iranianos tirando explosivos não detonados do casco de um navio –o que seria uma forma de impedir a identificação dos autores do ataque.

Por causa da crise, a autoridade de aviação dos Estados Unidos suspendeu voos sobre as áreas dos golfos Pérsico e do Omã sob controle do Irã. Algumas companhias de outros países também decidiram desviar as rotas para o sul da Ásia.

Fonte: G1

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||