Documento secreto proíbe Estado Islâmico de atacar aviões da coalizão dos EUA

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

16 de novembro de 2016.

 

Um documento, que confirma a proibição do grupo terrorista Daesh de atacar quaisquer aviões da coalizão sobre a cidade de Mossul e seu subúrbio, foi encontrado na cidade iraquiana libertada de Bakhdida, na província de Nínive, pelas Unidades de Proteção do Planalto de Nínive (NPU).

Segundo a Sputnik Árabe, no centro da cidade situada a sudeste de Mossul, perto do assim chamado "centro de mobilização", havia uma placa com decreto publicado para todos os militantes do Daesh:

"É completamente proibido abater quaisquer aviões no ar usando quaisquer armas, independentemente da altitude de seu voo, mesmo se avião pousar nos telhados das casas."

Decreto do Daesh proíbe abater qualquer avião da coalizão internacional liderada pelos EUA

O decreto foi assinado por um dos líderes locais do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em muitos outros países), Abu Muawia. Os "centros de mobilização" foram organizados pelo Daesh para militarizar civis. Nesses centros era realizada preparação militar e física dos novos jihadistas.

Vale ressaltar que são os aviões da coalizão internacional liderada pelos EUA que são responsáveis pelos ataques aéreos contra o Daesh em Nínive. Várias vezes a coalizão foi acusada de ataques aéreos contra as milícias populares e exército iraquiano e de oferecer ajuda humanitária e militar ao Daesh.

Documentos do decreto publicado pelo Daesh

O maior escândalo foi gerado quando os aviões da coalizão atacaram milícias iraquianas, que lutam contra o Daesh, matando 18 combatentes da milícia de Nínive.

Fonte: Sputnik

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||