Diretor de segurança alerta que Estado Islâmico planeja onda de ataques na França

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

19 de maio de 2016.

Militantes do Estado Islâmico estão se preparando para uma campanha de ataques a bomba em grandes aglomerações na França, que irá sediar a Euro 2016, o campeonato europeu de futebol, alertou o chefe de espionagem do país.

Os comentários raros de Patrick Calvar, diretor da agência de inteligência interna francesa (DGSI, na sigla em francês), ao comitê de defesa do Parlamento delinearam "uma nova forma de ataque... caracterizada pela colocação de artefatos explosivos em locais onde há grandes multidões e pela repetição deste tipo de ação para criar um clima de pânico máximo".

"Claramente, a França é a mais ameaçada, e sabemos que o Daesh (denominação árabe do Estado Islâmico) está planejando novos ataques", afirmou Calvar ao comitê no dia 10 de maio, de acordo com uma transcrição de seu testemunho divulgada à mídia nesta quinta-feira.

Os comentários acontecem seis meses após militantes matarem 130 pessoas em atentados coordenados em cafés, bares, um estádio de futebol e uma casa de shows em Paris.

O diretor disse que o grupo militante possui voluntários para realizar as novas ações, incluindo cerca de 645 cidadãos franceses ou moradores do país vivendo atualmente na Síria ou no Iraque, dos quais 400 são combatentes. Outros 201 estão em trânsito ou nessa região ou para ela, acrescentou.

A Euro 2016 acontecerá entre 10 de junho e 10 de julho em 10 estádios por toda a França. Cerca de 2,5 milhões de torcedores são esperados nas 51 partidas entre 24 seleções. Também haverá "áreas de torcedores" com telões em grandes cidades.

A força policial francesa está sobrecarregada pelas tarefas adicionais de segurança do estado de emergência decretado após os dois ataques mortais de islâmicos extremistas em Paris em novembro e por manifestações frequentes contra reformas trabalhistas.

Mas o governo diz que todas as medidas de segurança estão ativas para garantir que o torneio ocorra sem transtornos.

"Não iremos baixar a guarda", disse o primeiro-ministro da França, Manuel Valls, à rádio RTL nesta quinta-feira, quando indagado sobre as observações de Calvar.

Calvar disse que o Estado Islâmico ainda está usando as mesmas rotas imigratórias pelos Bálcãs para levar seus combatentes à Europa.

Pressionado pelos ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos na Síria, o grupo radical pode voltar a realizar ataques em solo europeu para mostrar a seus apoiadores que continua forte.

Fonte: Reuters.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||