'Descer ao inferno': China alerta que aproximação entre EUA e Taiwan pode causar guerra

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

02 de março de 2018.

A China emitiu um aviso ameaçador para Taiwan em relação a uma lei americana pendente que fortaleceria os laços entre Washington e a nação insular, algo que poderia, de acordo com a mídia estatal chinesa, levar a um conflito militar aberto.

O Departamento de Assuntos de Taiwan da China disse que a aprovação do Ato de Viagem de Taiwan era uma afronta direta ao princípio de "One China" ("Uma China") de Pequim, que não reconhece Taiwan como um Estado soberano e exige a eventual unificação com o continente.

"Também avisamos severamente Taiwan: não confie em estrangeiros para construir-se, ou apenas atrairá o fogo para você", disse o gabinete do governo chinês em um pequeno comunicado.

A legislação dos EUA, que só precisa da assinatura do presidente Donald Trump para se tornar lei, permitirá que as autoridades dos EUA viajem para Taiwan para se encontrarem com seus homólogos taiwaneses, permitirá que as principais autoridades taiwanesas visitem os EUA e se encontrem com funcionários dos EUA, e encorajem laços econômicos mais próximos entre os dois países.

O Ministério de Relações Exteriores da China "opõe-se resolutamente" à legislação dos EUA e já apresentou uma queixa formal com Washington.

A mídia estatal chinesa previu que o projeto de lei, se assinado, poderia encorajar o presidente taiwanês Tsai Ing-wen a buscar a independência total da ilha, o que poderia desencadear a Lei anti-secessão da China. Aprovado em 2005, a legislação permite que Pequim "use a força para evitar que a ilha se separe", advertiu em editorial o jornal Daily China.

"Uma vez que os EUA estão obrigados pela lei doméstica a agir em nome da ilha nesse caso, isso só daria substância à observação de que a descida para o inferno é fácil", acrescentou o editorial.

O jornal estatal Global Times assumiu uma posição similar, advertindo em seu próprio editorial que as ambições políticas dos EUA na região poderiam forçar a mão da China, resultando em "medidas específicas contra as forças pró-independência em Taiwan".

Citando "a força do Exército de Libertação do Povo", o Global Times argumentou que a China continental agora goza de "iniciativa estratégica incomparável em todo o Estreito de Taiwan". O jornal acrescenta que "a situação militar e política em todo o Estreito de Taiwan fundamentalmente mudou".

Taiwan aprova lei dos EUA

Apesar dos severos avisos de Pequim, Taiwan recebeu bem a legislação norte-americana. Descrevendo Washington como um "aliado sólido", o primeiro-ministro Willian Lai disse na sexta-feira que ele "de todo o coração" antecipa que a lei "aumentará ainda mais a relação substantiva entre Taiwan e os Estados Unidos".

Atualmente, os Estados Unidos não possuem vínculos formais com Taiwan, mas servem como o principal fornecedor de armas da ilha e estão vinculados por lei para ajudar a defender o território.

A Lei de Relações de Taiwan estipula que os EUA fornecem à Formosa todas as armas necessárias para garantir a autodefesa da ilha contra potenciais ataques. Embora a lei não exija que os EUA intervenham diretamente no caso de um ataque contra Taiwan, ele deixa todas as opções militares na mesa.

Em janeiro, tropas taiwanesas encenaram exercícios militares na simulação de uma resposta a uma invasão. Taipei não especificou que a manobra anual simulou uma invasão pela China, mas disse que se destinava a "demonstrar determinação em salvaguardar a paz no Estreito de Taiwan e na segurança nacional". Tsai advertiu um mês antes que as tensões entre Taiwan e a China não deveriam ser resolvidas através da força militar.

Enquanto isso, Pequim está tentando integrar os taiwaneses à China continental através de movimentos legislativos. O Departamento de Assuntos de Taiwan da China anunciou na quarta-feira 31 novas medidas destinadas a tornar mais fácil para os taiwaneses investir, trabalhar e estudar no continente.

Fonte: Sputnik

https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2018030210647946-china-guerra-aproximacao-eua-taiwan/

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||