Das palavras às ações: EUA atacam Iêmen como retaliação

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

13 de outubro de 2016.

 

Os militares americanos atacaram um radar no Iêmen, o ataque foi uma resposta a bombardeios contra destróier dos EUA no mar Vermelho.
 
O destróier USS Mason da Marinha dos EUA se tornou nos últimos dias alvo de dois ataques de mísseis no Iêmen.

O primeiro ataque ocorreu na segunda-feira (10): foram lançados dois mísseis contra navio, que não atingiram o alvo e caíram no mar. O Pentágono acusou os rebeles houthis da autoria do ataque, mas eles, por sua vez, negaram todas as acusações de Washington.
 
Na quarta-feira, o USS Mason ficou sob a mira mais uma vez, tendo sido alvejado com outros dois mísseis. Desta vez outro navio ficou em perigo, o USS Ponce, que acompanhava o destróier na missão.
 
Este último incidente ocorreu na parte norte do estreito de Bab-el-Mandeb. Logo depois disso, o Pentágono afirmou que está pronto para responder "na mesma moeda".
Washington fez estas declarações poucas horas após o bombardeio do USS Mason. O alvo do ataque de retaliação norte-americano foram três radares localizados no território controlado pelos houthis.

"De acordo com estimativas preliminares, os radares foram destruídos", disse Peter Cook, representante oficial da Secretaria da Defesa dos EUA.
 
O representante do Pentágono afirmou que a ordem de ataque foi dada pessoalmente por Barack Obama, a conselho do secretário da Defesa do país, Ashton Carter, e do chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, general Joseph Dunford.
 
Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||