Curdistão iraquiano pede ajuda britânica contra ataques químicos do Estado Islâmico

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

04 de outubro de 2016.

 

Na terça-feira o Curdistão iraquiano pediu ajuda ao Reino Unido contra eventuais ataques químicos por parte do grupo terrorista Daesh na véspera do combate pela cidade iraquiana de Mossul.

O jornal The Guardian comunicou que o alto representante curdo no Reino Unido, Karwan Jamal Tahir, encaminhou uma solicitação por escrito ao secretário da Defesa britânico, Michael Fallon, informando que os terroristas do Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países) alegadamente usaram armas químicas contra destacamentos de Peshmerga (forças armadas do Curdistão iraquiano) pelo menos 19 vezes.

A respectiva solicitação foi feita no âmbito das preparativas para uma ofensiva que visa liberar a cidade de Mossul, considerado o maior baluarte do Daesh.

Mossul, com uma população de quase 700 mil habitantes, é a capital da província de Ninawa e a segunda maior cidade do Iraque. O exército do governo, milícias xiitas e curdos, apoiados pelas forças aéreas da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, tentam, desde o mês de março, libertar a cidade do Daesh, que dominou Mossul em junho de 2014.

Fonte: Sputnik.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||