Crise na relação: Coreia do Norte ameaça a China por críticas 'imprudentes'

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

03 de maio de 2017. 

 

A mídia estatal norte-coreana publicou nesta quarta-feira um comunicado crítico contra a China, após Pequim dar sinais de apoio a uma série de novas sanções contra Pyongyang por conta do seu programa nuclear, este o foco das tensões na Península Coreana.

De acordo com a Agência Central de Notícias Coreana (KCNA), os comentários publicados por dois jornais “amplamente conhecidos por falarem em nome do partido chinês e pelo governo” tratam-se de “comentários absurdos e imprudentes” que “agora vindos da China todos os dias”.

“A sequência de comentários absurdos e imprudentes agora vindos da China todos os dias apenas tornam a atual situação ruim e mais tensa. A China deveria refletir melhor sobre as graves consequências que o ato imprudente de cortar o pilar das relações entre a Coreia do Norte e a China”, diz a nota.

Em outro trecho, a agência norte-coreana adverte: “A Coreia do Norte insta a China a não colocar à prova a paciência de Pyongyang e que tome a decisão estratégica correta dada a situação atual”, afirma a KCNA.

A China vem sendo pressionada pelos Estados Unidos para exercer influência sobre o regime de Kim Jong-un, justamente por ser o principal aliado dos norte-coreanos. De acordo com diplomatas, os dois países negociam a possibilidade de novas sanções contra Pyongyang, principalmente após os recentes testes com mísseis na península.

Nos jornais chineses, a culpa pela tensão e pela “deterioração das relações” entre os dois países é colocada no colo da Coreia do Norte. Já Pyongyang considera tais conclusões “uma violação da igualdade legal, da dignidade e dos interesses superiores da República Popular [coreana]”.

A KCNA comentou ainda que o programa nuclear local foi necessário para “existência e desenvolvimento” do país e não pode ser “nem modificado ou mudado”. “A Coreia do Norte nunca irá implorar pela manutenção da amizade com a China”, completou a agência.

Mais cedo, o governo chinês pediu que todas as partes envolvidas na crise na península se acalmem e “parem de irritar uns aos outros”, e que partam em busca de “criar uma atmosfera que propicie o contato e o diálogo, e que busquem o retorno a um caminho correto para a negociação o quanto antes”.

Fonte: Sputnik

https://br.sputniknews.com/asia_oceania/201705038304204-coreia-do-norte-ameaca-china/

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||