Coreia do Sul treina soldados hackers em batalha contra a Coreia do Norte

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras;..." Mateus 24:6

21 de junho de 2016.

Em uma graduação da Korea University, instituição de elite em Seul, os cursos são conhecidos somente pelo número e os estudantes mantém suas identidades em sigilo.

O currículo de ciberdefesa, fundado pelo ministério da Defesa, treina jovens "guerreiros dos teclados" que podem estudar gratuitamente em troca do compromisso de servirem como oficiais, por sete anos, na unidade de guerra cibernética do exército - e no conflito em andamento com a Coreia do Norte.

As Coreias permanecem em um estado técnico de guerra desde que a Guerra da Coreia (1950-53) terminou em trégua armada. Além dos programas nuclear e de foguetes de Pyongyang, a Coreia do sul diz que o Norte tem um forte exército cibernético, o qual tem culpado por uma série de ataques nos últimos três anos.

A Coreia do Sul, importante aliada dos EUA, é um dos países mais avançados tecnologicamente do mundo. Isto significa que suas redes controlam tudo, desde redes de energia até o sistema bancário, são vulneráveis contra um inimigo que é relativamente primitivo em infraestrutura e, portanto, há menos alvos contra os quais o Sul pode retaliar.

Ano passado, a Coreia do Sul estimou que o ciberexército do Norte dobrou de tamanho ao longo de dois anos, para 6 mil soldados, e o Sul tem lutado para acelerar sua habilidade de atingir o que considera uma ameaça crescente.

Além do curso na Korea University, a polícia nacional tem expandido suas habilidades de ciberdefesas, enquanto o Ministério de Ciências começou um programa com duração de um ano, em 2012, para treinar os chamados "hackers éticos".

Fonte: Reuters.

voltar para Guerras

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||